Destaque

Decisão do STF sobre sátiras pode complicar tentativas de censura do grupo Sarney

 

O Supremo Tribunal Federal (STF) derrubou, por unanimidade, dispositivos da Lei das Eleições que impediam emissoras de rádio e televisão de veicular sátira política nos dois meses que antecedem as eleições. A Corte atendeu pedido da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert).

A decisão do Supremo atinge em cheio as tentativas de censura da família Sarney no Maranhão. No mês passado, em denúncia assinada pelo Partido Verde (PV), por meio do deputado Adriano Sarney – neto do oligarca José Sarney – o clã tentou censurar a divulgação de um meme em que Roseana aparece ao lado do presidente Michel Temer.
A tentativa de censura levou o filhote da oligarquia a denunciar o meme junto à Superintendência da Polícia Federal no Maranhão (SPF-MA) e à Procuradoria Regional Eleitoral (PRE).

O grupo Sarney aproveitou a oportunidade para politizar o caso e incluir um secretário de Estado, pessoas próximas a ex-auxiliares do governo e, pasmem, jornalistas pela divulgação do meme que eles classificaram oportunisticamente de fake news.

Com a decisão do STF, vai ficar difícil agora para a oligarquia querer censurar todo e qualquer conteúdo que desagrade o pensamento coronelista de José Sarney. Ponto para a liberdade de expressão e para o processo democrático.