E-mail: redacao@marrapa.com
Rádio
  • Eleições 2016
  • Debate Mirante: Considerações finais

    Eliziane continua gritando nos 45 segundos de considerações finais.

    O candidato-banheiro (WC) se faz de vítima, nega os Sarney, culpa o irmão pela grilagem de terreno dos velhinhos do FEPA, mas não explica porque não paga IPTU, IPVA, ISS, INSS, condomínio Toscana, Correio etc.

    Edivaldo agradece a Deus e o povo pela possível reeleição ainda no primeiro turno.

    “Tio Fábio é 15” perde a graça.

    Braide mira a metralhadora no Safadão. “Veja a diferença” entre o justo e o perverso, repete pela milésima vez.

    Tonico Pereira respira aliviado, mas os indecisos continuam indecisos, em parte pela dinâmica engessada do Debate Mirante.

    30 de setembro de 2016 às 0:34 | Por:

  • Eleições 2016
  • Debate Mirante: 4º bloco

    Braide insiste em cobrar Edivaldo pelo que não é culpa da prefeitura. Dessa vez é a falta de luz no povoado Maracujá, de responsabilidade da Cemar.

    Wellington e Braide se digladiam.

    Provocado por nunca ter apresentado um projeto em favor da Educação, o sócio oculto do Curso Wellington perde as estribeiras e diz que apresentou mais proposições em 20 meses do que o vice-líder de bloquinho em seis anos.

    “Você não entende de matemática”, retruca Braide. W sem C não perdoa e toca no assunto que tira o algoz do sério: as investigações da Polícia Federal que alvejaram a família Braide em Anajatuba.

    Eliziane grita, grita e não diz nada.

    Braide ganha direito de resposta e enquadra Wellington, acusando o colega de plenário de patrocinar blogueiros para atacá-lo com postagens falsas: “Todas as indenizações que estou ganhando por causas das calúnias dos blogueiros que o senhor patrocina serão direcionadas para a Apae”.

    Tio Fábio serve de escada para Eliziane continuar gritando, gritando e dizendo nada.

    O vereador laranja também faz piada inoportuna sobre os ataques a ônibus desta noite. Edivaldo o repreende.

    30 de setembro de 2016 às 0:26 | Por:

  • Eleições 2016
  • Debate Mirante: 3º bloco

    Edivaldo põe fim ao discurso dos adversários sobre a não construção das 25 creches anunciadas na campanha de 2012, informando que seis estão em obras e as demais não foram viáveis por conta da crise econômica que inviabilizou o repasse de recursos pelo governo federal.

    Acostumado apenas a cobrar, cobrar e cobrar na Comissão de Obras da Assembleia Legislativa, Braide demonstra desconhecimento ao atribuir a Edivaldo a responsabilidade sobre as obras da BR 135 e o aeroporto de São Luís, ambas de competência federal

    Link online da Mirante trava.

    Eliziane fala sobre cultura com a experiência de quem coleciona todos os DVDs do cantor Thales Roberto.

    Wellington insiste na performance tatibitate de professor de curso pré-universitário. Perguntado sobre esporte, responde com promessas aos professores.

    Constrangido, W sem C ainda comenta os ataques a ônibus desta noite, após seu encontro matinal com as mulheres de membros do Bonde dos 40.

    Tio Fábio promete fazer um inventário de todas as árvores de São Luís e sequestrar o oxigênio das cidades vizinhas.

    29 de setembro de 2016 às 23:57 | Por:

  • Eleições 2016
  • Debate Mirante: 2º bloco

    Edivaldo segue nervoso e atacado por Braide – o injustiçado pela Escutec. O deputado diz que destinou emendas para a compra de um mamógrafo. O prefeito desmente.

    Holandinha questiona Wellington do Curso sobre habitação. O irmão do grileiro do terreno na Via Expressa foge da resposta pela tangente, insistindo no discurso genérico, perdido e vazio de quem não paga nem IPTU.

    Pilhado, o enrolado ‘laranja’ do Curso tenta flertar com Tio Fábio com uma pergunta sobre a falácia do ISEC, mas leva outro fora.

    Eliziane provoca Braide sobre os ataques da bandidagem em São Luís e o ‘promissor’ vice-líder de bloquinho da Assembleia promete solucionar com a construção de postos de polícia nos bairros para entregar ao Governo do Maranhão.

    29 de setembro de 2016 às 23:33 | Por:

  • Eleições 2016
  • Debate Mirante: 1º bloco

    Primeiro bloco do debate da Mirante, com a presença de Eduardo Braide (PMN), Edivaldo Holanda Junior (PDT), Wellington do Curso (PP), Eliziane Gama (PPS) e Fábio Câmara (PMDB).

    Debate começa tenso, com alfinetadas entre os candidatos.

    Wellington provoca Edivaldo sobre o lixo. O prefeito destaca a inauguração do Aterro Sanitário e dispara: “Nossa gestão trabalhou muito. O senhor não viu, pois estava se dedicando a farras nas rua nos últimos dois anos”.

    Eduardo Braide foca em Edivaldo, mas é enquadrado por Fábio Câmara em réplica sobre Saneamento Básico: “Enquanto o senhor foi gestor da Caema, não vi nenhuma estação de tratamento inaugurada. Todas foram construídas por Roseana”.

    Em pergunta sobre emprego, Eliziane faz escada para Wellington bater em Edivaldo. O professor, perdido, responde sobre geração de empregos, com a profundidade e experiência de quem não paga INSS e nem o piso nacional dos professores para empregados do Curso Wellington.

    29 de setembro de 2016 às 23:08 | Por:

  • Eleições 2016
  • Jornalista da Mirante é agredida na Beira Mar.

    A jornalista Karla Freira, da TV Mirante, passou por momentos de pânico na tarde desta quinta-feira (29), durante o protesto na Avenida Beira Mar de mulheres de detentos do Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

    Conforme a própria jornalista relatou em um post no Facebook, Karla teve a infelicidade de passar pela avenida no momento mais tenso do protesto. No fim da tarde, quando a Tropa de Choque estava no local e retirava as mulheres, Karla ouviu bombas,  correria e de repente seu carro estava cercando pelas manifestantes. Elas começaram a bater nos vidros, na lataria e forçaram para abrir a porta.

    Assustada, a jornalista dizia que não entendia o que estava ocorrendo e pedia para pararem.

    Após o susto, Karla fez um desabafo. “Não julgo. Não chego a ponto de me colocar no lugar de ninguém. Ninguém se coloca em lugar de ninguém mais. Isso é o mais apavorante desse dia de hoje”.

    29 de setembro de 2016 às 21:45 | Por:

  • Eleições 2016
  • PF investiga distribuição de bolsa em faculdade em troca de votos para Ildon Marques e candidato a vereador do PSB

    A Polícia Federal investiga uma suposta venda de votos em Imperatriz em troca de bolsas de estudos na Faculdade Pitágoras. O esquema beneficiaria o candidato a prefeito Ildon Marques e o candidato a vereador Marcelo, ambos do PSB.

    A Faculdade descobriu a armação há poucas semanas e orientou os estudantes a levaram o caso ao Ministério Público, que posteriormente acionou a Polícia Federal. De acordo com as investigações, as bolsas de estudos eram oferecidas na Escola Coelho Neto que funcionaria como um anexo do Pitágoras, inclusive alguns alunos já frequentavam as aulas.

    A polícia ainda não tem um número estimado de quantas pessoas foram ludibriadas, mas estima que sejam mais de 100 alunos que caíram no golpe. Caso seja comprovado o crime eleitoral, os candidatos Ildon Marques e Marcelo podem ter o registro das candidaturas cassados por abuso de poder político e econômico.

    Em nota, a Faculdade Pitágoras confirmou o caso e que está colaborando com as investigações.

     “Em resposta à matéria publicada recentemente sobre o suposto esquema de favorecimento de votos em troca de bolsas de estudo, a Faculdade Pitágoras, referência em tradição e qualidade no ensino em todo o país, enfatiza que não tinha conhecimento a respeito do caso até a semana passada, quando foi comunicada por terceiros.

    A instituição colabora com as investigações e repudia qualquer ato ilícito praticado por pessoas não autorizadas, envolvendo indevidamente o uso da marca. “A Faculdade Pitágoras reafirma o compromisso com a transparência e a veracidade das informações, permanecendo à disposição para sanar quaisquer dúvidas adicionais”.

    29 de setembro de 2016 às 19:57 | Por:

  • Eleições 2016
  • Eliziane Gama tem um histórico de surpreender

    Por mais que a tendência aponte o contrário, a candidata a prefeita Eliziane Gama (PPS) pode surpreender no domingo (2), logo após as urnas serem abertas e os fiscais do Tribunal Regional Eleitoral contarem os votos. Desde sua primeira vitória, quando se elegeu deputada estadual pela primeira vez em 2006, a parlamente costuma inverter a lógica das pesquisas e com seu poder de superação, derruba a maioria dos prognósticos.

    Aliados e correligionários de Wellington do Curso (PP) tem ignorado a aproximação de Eliziane Gama em pelo menos dois institutos nesta semana, acreditam que a deputada já não é “problema” e disparam suas armas contra o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT). A diferença é que se o pedetista não vencer no primeiro turno, ao menos está garantido no segundo, e Wellington, será que está mesmo classificado para a próxima fase?

    Eliziane se elegeu deputada estadual em 2006, aos 29 anos. Sem história política, sem ser de família tradicional ou empresária, mesmo assim garantiu uma vaga na Assembleia com 15 mil votos. Quatro anos depois, se reelegeu com o dobro de votos. Em 2012, quando concorreu à Prefeitura pela primeira vez, logo no início era a quinta colocada na pesquisas, atrás de nomes como do ex-prefeito Tadeu Palácio e do vice governador, na época, Washington Oliveira, ao final do primeiro turno ficou na terceira colocação com 13% dos votos, atrás apenas de Edivaldo e Castelo. Nas eleições de 2014, mais uma surpreendente votação, Eliziane foi a única mulher eleita deputada federal no Maranhão e ainda por cima, a mais votada.

    O progressista desdenha da força de Eliziane, a quem ele deve muito. Para quem não sabe, foi a capacidade de atração do eleitorado de Gama que garantiram votos para WC em 2012 quando concorreu a vereador, e 2014 ao se eleger deputado estadual. Wellington era do PPS, mas traiu a pessoa que lhe estendeu a mão politicamente, mudando de partido para concorrer no pleito deste ano.

    Ninguém duvida da capacidade de discussão de Eliziane, que mais uma vez poderá ser favorecida, enquanto Wellington tentará não se comprometer. O desempenho de cada um pode influenciar os indecisos até domingo.

    Portanto, nunca é bom descartar um político com essa capacidade de contrariar pesquisas, ainda mais com uma carreira ilibada que Eliziane construiu ao longo de dez anos. A sua história e capacidade de superação lhe autorizam a virar esse jogo e chegar no segundo turno.

    É aguardar para ver…

    29 de setembro de 2016 às 19:54 | Por:

  • Geral
  • “Prefeito é Edivaldo 12”, afirma Bira

    Em vídeo nas redes sociais, o deputado estadual Bira do Pindaré (PSB) reafirmou apoio à reeleição do prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Junior (PDT). Na publicação, o parlamentar destaca que, pela primeira vez, a capital maranhense tem um governador e um prefeito trabalhando em plena sintonia para melhorar a vida da população. Fato classificado por ele como positivo, já que, desde que a parceria começou, a cidade passou ter resultados concretos nos serviços públicos, os quais devem ser ampliados e intensificados nos próximos meses.

    A parceria inédita entre o governo do Estado e a prefeitura de São Luís já havia sido destacada por Bira no inicio desta semana na Assembleia Legislativa do Maranhão. Segundo ele, além de ser o único nome que não representa um retrocesso ou uma aventura, o atual prefeito está alinhado com o projeto de mudança – prioridade para a capital e para todo Maranhão. “A nossa luta é grande, mas haveremos de vencer no primeiro turno com a benção de Deus”, frisou.

    O parlamentar foi taxativo ao declarar sua aversão pelos “aventureiros” de plantão. Ao que tudo indica a indireta foi para Wellington do Curso (PP), conhecido por não pagar IPTU, ISS e IPVA – dinheiro que deveria ser usado para melhorar serviços públicos como educação, saúde, segurança e infraestrutura da cidade; e acusado de tentar se apropriar do terreno dos aposentados localizado no Sítio Santa Eulália, próximo à Via Expressa.

    Desesperado para limpar a ficha de Wellington, o deputado Edilázio Júnior até tentou colocar em Flávio Dino (PCdoB) a culpa pelo processo que tramita contra o pepista em relação à acusação da grilagem de terra ter ‘caído’ nas mãos de jornalistas. Não vingou! O socialista esclareceu que o processo, além de não tramitar em segredo de justiça, vem desde o governo Roseana Sarney (PMDB), antiga aliada de Edilázio com quem tem relações familiares e uma das principais apoiadoras da campanha de WC.

    Bira ressaltou que quem tem que explicar, de maneira efetiva a situação do processo, é o candidato Wellington. Para o deputado, o fato do candidato do PP não ser proprietário do terreno está claro, mas a acusação é justamente o oposto, a de que ele não é proprietário.

    “Se ele fosse proprietário estava tudo resolvido, mas o problema é que a acusação que é feita é de que ele tentou ser proprietário de um terreno, ilegalmente. Quer dizer, que ele não é proprietário já está claro. Agora, se tem o nome do irmão, não sei se o irmão é o mesmo que é sócio dele ou sócio da mãe, dono de uma empresa que ele diz que é dono. Enfim, eu nem sei o que é mais que significa isso, mas o fato é que se é o mesmo irmão, eu acho que, no mínimo, devem ter explicações adequadas a este fato”, cobrou.

    29 de setembro de 2016 às 18:42 | Por:

  • Eleições 2016
  • Jerry desmente Wellington e afirma que perseguição é factoide

    O secretário de Comunicação e Articulação Política do Maranhão, Márcio Jerry, classificou como “factoide” o pedido de proteção policial do candidato Wellington do Curso (PP) enviado a presidência da Assembleia Legislativa do Maranhão, solicitando à Polícia Federal investigação sobre o suposto monitoramento.

    Em mensagem publicada no Twitter, Jerry condenou o apoio de Wellington do Curso à manifestação de familiares de membros de facções criminosas na manhã de hoje, na porta do Palácio dos Leões. O sócio oculto do Curso Wellington foi até o local do ato escondido, sem avisar a imprensa ou colocar em sua agenda de campanha, temendo a repercussão

    Como foi flagrado, para tentar desviar o foco da notícia, teria inventado a suposta perseguição. “Factoide pra tentar esconder o apoio dele a manifestação organizada por facções criminosas hoje pela manhã”, afirmou Márcio Jerry.

    O secretário ainda levantou a hipótese da ligação de Wellington do Curso com membros e parentes do crime organizado que atuam na capital. “Conexão de facções criminosas com políticos não é mais novidade no Maranhão, infelizmente. Democracia aviltada”.

    No mínimo é de estranhar a participação de Wellington em apoio aos líderes de facções que neste ano já incendiaram mais de 20 ônibus e são responsáveis pela escalada da violência em São Luís.

    29 de setembro de 2016 às 15:07 | Por: