Destaques

Eduardo Braide usou certidão vencida para se desvincular da Máfia de Anajatuba

O deputado estadual Eduardo Braide (PMN) utilizou certidão antiga e sem validade para que seu nome não fosse associado às investigações do Ministério Público na “Máfia de Anajatuba”. Documentos obtidos pelo blog Yuri Almeida, através da Lei de Acesso à Informação, nesta terça-feira (12), enterraram a farsa do parlamentar.

Durante as eleições municipais no ano passado, quando surgiram as denúncias de sua participação no esquema, Braide publicou nas redes sociais certidão emitida pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado – Gaeco – datada de setembro de 2015, que excluía o parlamentar de qualquer inquérito.

Todavia, conforme informações da Procuradoria Geral de Justiça, o deputado foi incluído nas investigações no mesmo ano, em novembro, pouco depois da emissão da certidão que apresentava no período eleitoral.

O presidente do nanico PMN ludibriou o eleitorado ao manipular a verdade sobre os fatos e ainda acusou a imprensa de perseguição. Ele está na mira da Justiça, afinal, por muito tempo o empresário Fernando de Carvalho Bezerra, operador do esquema, encontrou abrigo em seu gabinete na Assembleia Legislativa do Maranhão.

Desbaratada pela polícia ainda em 2015, a Máfia de Anajatuba era uma organização criminosa responsável por fraudar licitações em diversos municípios do interior, causando prejuízos milionários a dezena de prefeituras.

Até hoje Braide usa a mesma certidão para perseguir todo aquele que relaciona seu nome à Máfia de Anajatuba, como é o caso do editor do blog, a ponto de ter influenciado até em decisões da justiça.

Mas este é assunto para outro post.

Certidão datada antes do inquérito ser aberto contra Eduardo Braide

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *