Geral

Codó recebe Diálogos pelo Maranhão neste sábado

O movimento Diálogos pelo Maranhão volta a percorrer o estado neste fim de semana, promovendo debates sobre a realidade do Maranhão. A primeira cidade visitada em 2014 será Codó, com evento que reunirá neste sábado (1º) a população de Codó e lideranças políticas de todo o Maranhão que defendem um modelo político democrático e inclusivo para o estado.

codoA primeira atividade do movimento Diálogos em 2014 marca o início das atividades políticas de Flávio Dino no Maranhão. Pré-candidato ao governo do estado, Flávio Dino é coordenador do movimento Diálogos pelo Maranhão, que percorreu mais de 60 municípios ao longo de 2013 e deve se fortalecer em 2014.

Ouvindo a população a respeito da realidade de cada região, Flávio Dino e lideranças políticas de todo o Maranhão inovam no modelo de construção de Programa de Governo baseado em três premissas principais: Democracia, Igualdade e Desenvolvimento para todos.

A visita a Codó no dia 1º de fevereiro marcará o reinício dos debates em torno de um Programa de Governo baseado no diálogo com a população. O evento acontecerá no União Artística de Codó a partir das 9h.

Além de Flávio Dino, participarão do evento deputados federais, deputados estaduais, prefeitos, vice-prefeitos, vereadores, lideranças comunitárias, rurais, religiosas e da juventude da região.
Propostas para mudar o Maranhão.

Ao longo de 2013, as dezenas de cidades visitadas pelo movimento Diálogos pelo Maranhão apontaram suas prioridades para promover qualidade de vida a todos os maranhenses. Em cada cidade, Flávio Dino e demais lideranças conversam com cidadãos de cada cidade.

Ouvindo relatos de cada região e discutindo soluções para os principais problemas de cada lugar, Flávio Dino e as lideranças sociais e partidárias estão apresentando propostas para superar problemas retratados nos índices sociais e econômicos do estado.

No lançamento de sua pré-candidatura, Flávio Dino propôs como prioridade para o estado distribuição de água para 100% dos maranhenses. Hoje, metade da população não possui água ou banheiro em suas casas.

Com informações do Diálogos pelo Maranhão