E-mail: redacao@marrapa.com
Rádio
– Leandro Miranda
  • Eleições 2016
  • Eliziane alcança Wellington e debates podem apontar uma virada

    Pesquisa do instituto Perfil, divulgada neste domingo (25) pelo Jornal Pequeno, mostrou uma reação surpreendente da candidata Eliziane Gama (PPS) que disputará “voto a voto” uma vaga no segundo turno com Wellington do Curso (PP).

    Eliziane marcou 17,2% das intenções de voto, número bem diferente dos resultados apresentados no meio da semana, e está apenas 4 pontos percentuais de Wellington do Curso, que marcou 22,1%. Aplicando-se a margem de erro de 3 pontos percentuais para mais ou para menos, essa diferença pode cair a 1%. O instituto Perfil é o terceiro que aponta queda de W sem C nos últimos três dias, desempenho perigoso, ainda mais faltando apenas uma semana para as eleições. Além disso, o levantamento foi feito antes do debate na TV Guará, ocasião em que o progressista mostrou um desempenho desastroso e foi motivo de chacota, por isso a tendência é que estes números desabem. Para piorar a sua situação, mais dois debates estão marcados, na Mirante e na Difusora.

    Já a candidata Eliziane Gama vive o inverso, cresce nos 45 minutos finais e pode levar vantagem no confronto direto com o adversário, por já ter demonstrado ser infinitamente mais preparada que Wellington. Pesquisa reflete o momento, e esse aponta desempenho favorável a deputada federal.

    O prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) manteve a dianteira, e se não vencer no primeiro turno, ao menos tem garantido uma vaga no segundo com 37,3% das intenções de voto.

    Fábio Câmara foi o quarto mais citado com 3,1%. Outros marcaram 7%; indecisos 6,9% e brancos e nulos 6,4%.

    A pesquisa Perfil ouviu entre os dias 19 e 21 de setembro 1000 eleitores de São Luís e foi devidamente registrada no Tribunal Regional Eleitoral sob o número 01931/2016. O grau de confiabilidade é de 95%.

    25 de setembro de 2016 às 12:51 | Por:

  • Geral
  • Policiais em Coroatá fazem operação de combate a crimes eleitorais

    A prefeita de Coroatá, Teresa Murad (PMDB), divulgou uma nota neste sábado (24) reclamando do excesso de policiais na cidade, que estariam atuando sob ordens do governador Flávio Dino e coagindo seu grupo político.  Desde o início da semana, a Polícia está dando prosseguimento à ‘Operação Eleições 2016’ em municípios do interior do Maranhão.

    A proposta é planejar o reforço do policiamento em regiões com histórico em crimes eleitorais, agiotagem e coação, com o objetivo de prevenir esses crimes. Como acontece em Coroatá e, por isso, a preocupação de Teresa e Ricardo Murad.

    A ação é realizada em parceria com o Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE-MA), Tribunal de Justiça do Maranhão (TJ-MA) e Ministério Público (MP-MA).

    Depois de Coroatá, na quarta-feira (21), a operação foi realizada, na quinta (22) e sexta-feira (23), nos municípios de Presidente Dutra, São Domingos do Maranhão, Governador Eugenio Barros e Senador Alexandre Costa. O objetivo é combater ações criminosas antes as eleições e durante o pleito eleitoral.

    O juiz Francisco Ferreira de Lima salientou que “esta ação das forças da segurança é inédita no município de Coroatá”. A juíza Josane Araujo Braga ressaltou que “a cidade já respira as eleições e que a ajuda dos profissionais da segurança são muito bem vindas para que o processo eleitoral possa ser realizado”.

    O secretário adjunto de Segurança Pública, Saulo de Tarso informou que “em Coroatá, estarão presentes na cidade, dois delegados de polícia da Superintendência de Combate à Corrupção (Seccor), peritos criminais, policiais civis e militares para o combate à corrupção no processo eleitoral no município”.

    O comandante da Polícia Militar, coronel Frederico Pereira garantiu que “a presença destas equipes das polícias militar e civil, aqui no município serão no sentido de combater fraudes e corrupção. Irá chegar um contingente ainda maior de policiais militares e civis para integrarem as forças da segurança. Eles chegarão antes do período das eleições, para garantir um processo eleitoral seguro em Coroatá”, ratificou.

    24 de setembro de 2016 às 19:40 | Por:

  • Eleições 2016
  • Alexandre Almeida apela até para logradouros na tentativa de evitar a derrota em Timon

    Em Timon, o candidato a prefeito de oposição, Alexandre Almeida (PSD), já não sabe mais o que fazer para conseguir reverter a iminente reeleição do prefeito Luciano Leitoa (PSB).

    Depois de fazer promessas esdruxulas e se aliar a família Waquim, agora entrou com uma representação na Justiça Eleitoral contra o socialista, alegando que as calçadas e logradouros do município foram pintados de amarelo e vermelho, que são as cores do PSB. Um dos mais fiéis, aliados da família Sarney, através da influência da oligarquia, conseguiu parecer favorável.

    Levantamento realizado pela Escutec no último dia 13 e 14 mostrou que Luciano já possui mais de 50% da preferência do eleitorado e uma vantagem de 19% sobre Alexandre Almeida. Sua popularidade só aumenta, por isso não seria a cor de um logradouro que iria interferir no resultado.

    Almeida é classificado como um sujeito oportunista e arrogante, pois aparece em Timon apenas em período eleitoral para arrancar os votos dos eleitores. Também e rejeitado pelo seu jeito debochado e caricato demonstrado em debate recente realizado por uma emissora local.

    24 de setembro de 2016 às 14:14 | Por:

  • Geral
  • Iminência da derrota faz Ricardo Murad perder as estribeiras

    A iminente derrota da prefeita de Coroatá, Tereza Murad (PMDB), nas eleições de 2 de outubro tem mexido com os nervos e a própria sanidade mental do marido da prefeita, Ricardo Murad (PMDB). Durante um comício nesta sexta-feira, 23, o ex-secretário de Saúde fez diversos ataques ao governador Flávio Dino (PCdoB), que apoia o candidato de oposição Luís do Amovelar (PT), destratou policiais, assumiu espionar os adversários na cidade e fez diversas ameaças.

    As palavras e promessas de Ricardo Murad mostram a irresponsabilidade e o total despreparo emocional exigido por homens que desejam assumir uma posição de líder e se preocupam com o bem estar comum. Ao que parece, o ex-secretário perdeu completamente a compostura, enlouqueceu literalmente. O temor por mais uma derrota eleitoral, o fizeram partir para o “tudo ou nada”.

    Murad começou seus impropérios ao dizer que atualmente o Maranhão é um Estado sem comando, acometido de ilegalidades e que atende apenas aos interesses pessoais de uma pessoa (Flávio Dino). Algo que ele viveu por muito tempo, quando desfrutou das benesses da oligarquia e garantiu que será o próximo governador.

    “Ricardo Murad vai ser governador do Maranhão e vai por ordem nesse Estado”.

    Em seguida, acusou Flávio Dino de mandar metade da Polícia para persegui-lo e mais três delegados. A missão dessa tropa seria de intimidá-lo e prestar apoio ao candidato Luís do Amovelar. Ricardo disse estar ofendido e ameaçou os servidores.

    “Escutem delegados e policias que estão aqui, vocês terão que responder a mim daqui a dois anos”.

    Ricardo declarou que “quem tem a autoridade no município é a prefeita” e falou mal dos policias: “seus bandos de ordinários que aqui estão”.

    Em meio a devaneios, Murad pode ter cometido um grande erro, ao admitir que utiliza o videomonitoramento da Prefeitura de Coroatá para espionar adversários políticos na cidade. “Eu tenho fotos de Amovelar descendo do carro de vocês, na casa dele usando carro da Policia Militar do meu Estado,. O videomonitoramento tem tudo gravado”.

    O chefe de organização criminosa apontado pela Polícia Federal mostrou todo o seu descontentamento com as obras do Governo do Estado, como o programa Mais Asfalto, que está recuperando ruas no município. Murad disse que iria prender as máquinas que fazem o serviço e criticou Flávio Dino por não ter pedido autorização para iniciar o serviço na cidade a Prefeitura.

    “Esse moleque de governador, chega aqui e trás essa Polícia que não merece o nome de Polícia. Você perdeu meu respeito”.

    24 de setembro de 2016 às 14:04 | Por:

  • Eleições 2016
  • Imagem do dia: a volta por baixo de Roseana Sarney

    whatsapp-image-2016-09-24-at-00-06-58

    A ex-governadora do Maranhão. Roseana Sarney, deu a volta por baixo nesta sexta-feira (23).

    Aposentada da política desde a derrota de 2014 para Flávio Dino (PCdoB), ela a primeira aparição pública desta eleição.

    Ao lado do irmão, o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho (PV), e do deputado federal Aluísio Mendes (PTN), participou de um comício do candidato a prefeito de Colinas, Antonio Carlos (PSD).

    24 de setembro de 2016 às 2:32 | Por:

  • Geral
  • Bolo de Wellington do Curso murcha e Edivaldo se aproxima da vitória no primeiro turno

    bad679a8-38d4-4a7e-a2da-00d9bc60d4bc

    Ao que tudo indica, o fermento utilizado no bolo do candidato Wellington do Curso (PP) está seco ou vencido. Quanto mais ele utiliza de mentiras, injúrias e factoides para bater no prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), o progressista vai murchando nas pesquisas eleitorais, e o pedetista já vislumbra um cenário doce logo no primeiro turno.

    A Data M, o Ibope e agora a Escutec apontaram a queda de Wellington e o crescimento acentuado de Edivaldo que ultrapassa os 40% das intenções de voto.  Desesperados, aliados do “bolo murcho” cometeram uma verdadeira “barrigada” nesta sexta-feira (23), ao divulgarem que o prefeito devia IPTU de um apartamento, sendo que a dívida era do antigo proprietário.

    O pedetista tem adotado uma receita tradicional: evita polêmicas e presta contas da sua gestão com a população, o que tem agradado os eleitores. Algo que Wellington não soube fazer no debate da TV Guará, quando confrontado por Braide sobre sua atuação como parlamentar,  não teve conteúdo para responder.

    No cenário estimulado da pesquisa Escutec, quando são colocados os nomes dos candidatos, Edivaldo foi citado por 45,3% dos eleitores; Wellington marcou, 24%; Eliziane Gama (PPS), 8,5%; Eduardo Braide (PMN) é o quarto com 5,5% das lembranças do eleitor; Fábio Câmara (PMDB) marcou, 3%; depois Rose Sales (PMB), 2%; Zeluís Lago (PPL), Valdeny Barros (PSOL) e Cláudia Durans (PSTU) marcaram 0,5% cada um. Não sabem ou não responderam 6% e nenhum 4%.

    A pesquisa Escutec foi contratada pelo Jornal “O Estado do Maranhão” e ouviu entre os dias 21 e 23 de setembro 800 moradores de São Luís. Foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral sob o número MA-04039/2016. A margem de erro é 3 pontos percentuais para mais ou para menos e o grau de confiabilidade é de 95%.

    24 de setembro de 2016 às 1:45 | Por:

  • Geral
  • Rachid dá nova liminar relâmpago para tornar Gilberto Aroso elegível

    jorgerachid

    Após suspender de forma monocrática uma decisão do colegiado da Primeira Câmara Criminal, que condenou o candidato Gilberto Aroso (PRB) a 6 anos e três meses de reclusão, o desembargador Jorge Rachid voltou a afrontar a lógica jurídica e os colegas do Tribunal de Justiça.

    Em apenas 4 minutos e 30 segundos o desembargador Jorge Rachid voltou a conceder outra liminar ao candidato Gilberto Aroso, na manhã da última terça-feira (20), tornando o candidato elegível.

    Entenda o caso

    O candidato Gilberto Aroso foi condenado em várias ações de improbidade e criminais na Comarca de Paço do Lumiar. Em uma destas ações, a Primeira Câmara do Tribunal de Justiça manteve a condenação da Juíza de Paço do Lumiar, totalizando 6 anos e 3 meses de reclusão.

    Gilberto recorreu ao Supremo Tribunal Federal e ao Superior Tribunal de Justiça e estes solicitaram ao presidente do Tribunal, desembargador Cleones Cunha, que suspendesse a condenação. O presidente repassou o caso para vice-presidente, Maria das Graças Duarte, que não julgou e encaminhou para o desembargador Bayma Araújo. Este também se deu por impedido.

    O processo caiu para o desembargador Jorge Rachid que imediatamente concedeu liminar favorável a Gilberto Aroso.

    Ocorre que desembargador deixou de citar pontos da lei das inelegibilidades. Esta falha levou o Ministério Público a requerer a impugnação da candidatura do candidato do PRB. O processo subiu para o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MA) nesta semana após “mil” manobras de Gilberto.

    Vendo que ia ser impugnado no TRE, o candidato Gilberto usou a última manobra: voltou ao desembargador solicitando nova liminar, sendo atendido em apenas 4 minutos e trinta segundos.

    É aguarda para ver o que decide o TRE e o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) diante de mais este escândalo que parece pairar sobre a Justiça Maranhense.

    23 de setembro de 2016 às 23:11 | Por:

  • Eleições 2016
  • Ministério Público investiga suposta compra de votos de candidata à prefeita na Raposa

    O Ministério Público Eleitoral abriu uma investigação sobre uma suposta manobra para compra de votos da candidata a prefeita da Raposa, Ociléia Fernandes Carneiro, do PRB. A denúncia surgiu através da divulgação de áudios que evidenciaram a sua intenção de fraudar as eleições.

    O caso está sendo conduzido pela promotora Gabriela Brandão da Costa Taverna, que já ouviu o blogueiro Domingos Costas, autor da divulgação das gravações. Agora outras testemunhas devem ser ouvidas nos próximos dias, com o objetivo de formular a denúncia ao juiz titular da 93ª Zona Eleitoral, Flávio Roberto Ribeiro Soares.

    “São verdadeiras atrocidades eleitorais cometidas por Ociléia, que enquanto conversa com aliados, faz revelações assustadoras de como proporciona vantagem financeira ao eleitor, e de forma sistemática, quebra o equilíbrio na disputa em seu favorecimento”, destacou Domingos.

    Ociléia é a principal adversária da candidata do PCdoB, Talita Laci, que lidera as pesquisas no município. A candidata do PRB, inclusive, tentou impugnar a comunista, que teve o pedido deferido pela justiça.

    23 de setembro de 2016 às 17:19 | Por:

  • Eleições 2016
  • As bobagens de Wellington do Curso no debate da Guará

    O candidato a prefeito Wellington do Curso (PP) entrou para o folclore da política maranhense após o desastre que foi sua participação no debate da TV Guará, nesta quinta-feira (22), e também por algumas frases suas que viraram motivo de piada nas redes sociais.

    Depois de ser muito pressionado pelo candidato Eduardo Braide (PMN) sobre o tema saúde e sua atuação dentro da Assembleia, Wellington ficou nervoso. Braide insistiu querendo saber quais emendas o parlamentar destinou para setor em São Luís, WC fraquejou:

    – Nunca recebi emendas parlamentares do Governo do Estado.

    Ao falar sobre o VLT, Wellington repetiu um dos seus mantras nessa campanha eleitoral: “vou fazer um estudo técnico de viabilidade’’, para em seguida emendar uma frase que virou “meme” por conta do processo que responde na justiça por invadir terreno e depois tentar vender por uma quantia milionária.

    – Não vou vender terreno na Lua.

    Ao propor o tema no quarto bloco, sobre o cuidado com os animais, o candidato do PP fez um comentário fantasioso e populista ao se dirigir aos gatos e cachorros de São Luís, na tentativa de sensibilizar os ativistas. De antemão, o blog pede desculpa pela franqueza. Os caninos e felinos não possuem a compreensão do ser humano e também não votam, mas Wellington fez uma promessa para os bichinhos.

    – Animais não falam, mas têm direitos.

    No final do debate, Eduardo Braide perguntou para Wellington como ele se considerava o “deputado da educação” sem ter conseguido aprovar ou apresentar um projeto de lei para a área. Depois de muito enrolar e dizer que fez audiência públicas, o amigo do cantor Safadão não resistiu.

    – Não tenho nenhuma lei aprovada, deputado.

    Wellington teve a oportunidade de ajudar muitos setores públicos do município como deputado, mas não o fez, como Braide demonstrou no debate.

    23 de setembro de 2016 às 12:22 | Por:

  • Eleições 2016
  • Debate da Guará expõe despreparo de Wellington e preparo de Braide e Eliziane

    Vencedores

    O primeiro debate com os candidatos a prefeito de São Luís teve duração de 2h30 e foi encerrado já madrugada desta sexta-feira(23). Quem soube muito bem aproveitar o espaço foram os candidatos Eduardo Braide (PMN) e Eliziane Gama (PPS), já Wellington do Curso (PP) nunca mais esquecerá da sua primeira participação. O deputado demonstrou um despreparo constrangedor. O prefeito Edivaldo (PDT) não compareceu.

    Primeiro bloco

    No primeiro bloco o tema era educação, e a candidata Eliziane Gama utilizou artifícios para entrar no assunto corrupção e saber sobre as dívidas de Wellington do Curso e sua filiação no PP. W sem C respondeu que parcelou seu débito e escolheu o PP por conta própria, mas não poderia responder sobre os demais colegas de partido. Em seguida, Braide voltou a pressionar o candidato do PP, perguntando como ele se declarava “o deputado da educação” sem ter aprovado ou apresentado um projeto de lei para área. Wellington desconversou.

    Segundo

    No segundo bloco, os candidatos discutiram saúde. Outra vez Braide atraiu as atenções ao pedir para o candidato Wellington citar uma emenda que destinou ao setor no Maranhão. Em resposta, o progressista disse que nunca recebeu emenda do governo.

    – “Fale a verdade candidato. Chegou a hora da verdade. Na prática qual emenda destinou a saúde?”, retrucou Braide.

    O candidato do PMN, ainda apresentou sua proposta de parceria com a Santa Casa de Misericórdia para desafogar os Socorrões, gerar recursos com a diminuição do orçamento gasto em publicidade na Prefeitura e repassar ao setor, cerca de R$ 23 milhões.

    A pressão sofrida pelo colega de parlamento deixou WC tão desnorteado que a partir de então não soube formular suas perguntas e demorava para criar uma linha de raciocínio com frequentes pausas. Eliziane tratou sobre a construção do Hospital de Urgência e Emergência e precisou explicar sobre a Parceria Público Privada para a viabilização da obras porque Rose Sales tinha entendido como privatização da saúde. Fábio Câmara destacou a necessidade da criação de Centros Especializados. O prefeito de São Luís sofreu muitas críticas pela saúde local, e por vezes os adversários questionavam a sua gestão e o acusavam de fugir das discussões.

    Terceiro

    No terceiro bloco, Fábio Câmara arrancou sorrisos de jornalistas e assessores, quando pressionou Wellington em relação ao projeto do VLT na Litorânea. O chamou de devedor de impostos, de falsear informações e ironizou o adversário dizendo que ele “nem resolveu os problemas de São Luís e já quer resolver de Bacabeira” , em alusão a ideia apresentada por WC de levar o VLT até o município vizinho. Eliziane explicou a forma de viabilizar o novo corredor urbano de São Luís. Braide deu resposta interessante sobre como fazer para resolver os problemas dos acidentes da capital: “Tinta, apenas tinta para fazer a sinalização horizontal e vertical”.

    Quarto

    No quarto bloco, Wellington tentou fugir do confronto direto com Braide e Eliziane. O tema era livre e preferiu escolher “ativismo animal”, soltando uma frase que irá render muitos memes: “Os animais não falam, mas tem direitos”. O candidato parecia um boxeador desnorteado após sofrer um cruzado, e o nocaute final ocorreu quando Braide voltou a questioná-lo sobre a educação e destacar que ele jamais poderia dizer ser independente porque possui vários partido ao seu lado. Além de não ter capacidade para ser prefeito, porque não é um político bem relacionado e não saberia como buscar recursos para São Luís em uma crise a qual vivem os municípios, haja vista sua falta de emenda como o próprio garante não receber. Fábio tratou sobre a geração de renda para a cidade e os trabalhadores. Rose tentou constranger Eliziane sobre Castelo, mas a candidata do PPS tratou o assunto de forma firme e serena, dizendo que o ex-prefeito faz parte do PSDB que está em seu arco de aliança, mas será ela a prefeita e responsável pela gestão, a qual se preparou durante quatro anos para administrar a capital.

    Nocaute

    No bloco final, as considerações dos candidatos e outra vez Braide não poupou Wellington, ao dizer que não adianta falar que teve infância humilde e estudou em escola pública e nunca ter feito nada para a educação e saúde quando teve a oportunidade como deputado.

    Considerações finais…

    Braide comemora o fato de ter sido o mais bem avaliado por internautas, analíticos e jornalistas. Eliziane não entrou em polêmicas e conseguiu destrinchar dois de seus principais projetos: o novo Hospital de Urgência e Emergência e o corredor urbano. Em termos de proposta para São Luís, foi a que melhor aproveitou o tempo. Fábio Câmara surpreendeu, mostrando conhecimento da realidade. Rose Sales não parecia agradável com as câmeras e por vezes comparou a bancada com a tribuna da Câmara seus discursos. Wellington deveria assistir sua participação mais 20 vezes para aprender com os erros e entender como não se comportar em um debate, pois foi desastrosa sua atuação em todos os sentidos.

    23 de setembro de 2016 às 11:22 | Por: