Publicidade  Prefeitura de São Luis

Destaque

Flávio Dino compara Temer a Sarney: “Uma pena o Brasil passar por isso de novo”

Maranhão da Gente

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), usou as redes sociais para se posicionar sobre os erros do presidente Michel Temer (MDB) na condução do país. Dino comparou a gestão Temer com a do ex-presidente José Sarney. Para ele, o governo Temer não poderia ter outro desfecho.

“Quem viu a presidência de José Sarney sabia o que seria a de Michel Temer. Uma pena que o Brasil tenha que passar por isso de novo”, lamentou o governador.

A crise com os caminhoneiros expôs a todo o Brasil a fragilidade do governo Temer. Reportagem desta terça-feira (19) do jornal Folha de São Paulo sinaliza que, de acordo com membros do Congresso e do STF, cresce a chance de Temer não terminar o mandato.

Temer completou os últimos doze meses de governo, como o presidente mais impopular desde a gestão do oligarca maranhense, que administrou o país até o final dos anos 1980, deixando como legado uma estratosférica hiperinflação.

4 Comnetários

  1. segundo a PF POLICIA FEDERAL o presidente TEMER é chefe de uma ORCRIM—organização criminosa que saqueia o Brasil—-Governo sem governo, morre de medo de ser preso o que será de janeiro em diante , pois existe 2 processos e mais um a caminho , no STF—– governo sem moral, desmoralizado, um vampiro de escola de samba, a cara do CONDE DRÁCULA —- XÔ SATANÁS—-PARA O INFERNO OU PRISÃO.

  2. Se liga Flávio Dino, não foi só o governo de Sarney e de Michel Temer que foram tóxicos para o Brasil, não se esqueça de Lula e Dilma que acabaram com o Brasil. Que Lula inclusive está preso.

  3. Se formos fazer uma pesquisa de qual foi o presidente que mais causou prejuízos ao país, sinceramente acho que seria difícil escolher entre Sarney, Temer, Lula e Dilma. Pense em um time diabólico e incompetente.

  4. Ele esqueceu de mencionar Lula e Dilma para formar o quarteto infernal para o Brasil. Se o povo brasileiro fosse esperto não votariam nunca mais em nenhum dos quatro.

Comments are closed.