Publicidade  Prefeitura de São Luis

Destaque

Capelania desmonta factóide de Ricardo Murad

Na semana passada, Ricardo “cara de pau” Murad utilizou sua página no Facebook para atacar, levianamente, o Governo do Estado e as Capelanias Militares. O pai dos 72 esqueletos de hospitais, no alto de sua insanidade, agrediu o governador Flávio Dino por conta da criação de 6 cargos de capelanias da PM.

O fato é que, o genro da ex-governadora Roseana Sarney esqueceu que a capelania no Maranhão existe desde 1843, que é assegurada na Constituição de 1988 e que a “guerreira” criou 7 cargos de capelanias (1 a mais que Flávio Dino).

As agressões de Ricardo Murad são tão frágeis que a própria capelania respondeu em apenas 5 tópicos. Também pudera, logo ele, cunhado de quem criou mais vagas!

Veja a nota da capelania:

Diante do exposto por alguns setores políticos, no que diz respeito às capelanias das Forças Armadas e Forças Auxiliares, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros do Maranhão, a bem da verdade, vimos esclarecer os seguintes pontos:

1. Os Capelães Militares prestam assistência religiosa nas Forças Armadas e auxiliares em quase todos os países do mundo, sobretudo no ocidente, práticas exercidas há vários séculos.

2. A Constituição Cidadã de 1988, em seu art.5, inciso VII, afirma que: “é assegurada, nos termos da lei, a prestação de assistência religiosa nas entidades civis e militares de internação coletiva”.

3. Tendo como referência a Capelania da Polícia Militar do Maranhão afirmamos que houve um considerável aumento de oficiais ao longo da história.
a) No Maranhão, a Lei nº 149 de 15.07.1843, criou a Capelania na Polícia Militar.
b) O Governo do Maranhão seguidamente instituiu legislações reguladoras de Capelania em nosso Estado, como por exemplo: a Lei nº 306 de 17.11.1851; Lei nº 693 de 27.06.1864 ; Decreto Lei 1.526 de 07.07.1947
c) A Lei 5.776 de 20.10.1993 criou 02 (dois) cargos isolados de oficiais capelães no posto de Capitão, na gestão Edson Lobão.
d) Em 2004 e 2005 o Governo do Estado do Maranhão criou 05 (cinco) cargos, na gestão José Reinaldo Carneiro Tavares.
e) Em 2009, o Governo do Maranhão criou 07 (sete) cargos, na gestão Roseana Sarney Murad.
f) Em 2017 o Governo criou 06 (seis) cargos, na gestão Flávio Dino, na Polícia Militar.

4. Em decorrência do investimento do atual governo nas Corporações Militares, aumentando de forma significativa seu efetivo e, consequentemente o crescimento da necessidade de apoio espiritual, pastoral com o objetivo de resgatar valores sensíveis com a comunidade, com a própria família do policial, havendo a necessidade do correspondente aumento de oficiais capelães, bem como, da regionalização dessas Capelanias.

5. Em referência à Capelania do Sistema Penitenciário, afirmamos que ela sempre existiu em todo o território nacional em caráter voluntário. O atual Governo do Maranhão, portanto, somente reconheceu o serviço religioso, criando lei reguladora, objetivando atender as necessidades religiosas, bem como, prestar apoio às famílias dos internos, cumprindo o dispositivo constitucional.

Conclui-se, por fim, que a prestação da assistência religiosa por parte dos capelães não é uma atividade política partidária e sim um importantíssimo serviço de Ministério Pastoral. Não aceitamos distorções e inverdades movidas por oportunismo ou maldade.

2 Comnetários

  1. Esse cara de pau e dessemercenário devia ter ficado sem essa,se não fosse tão sem noção além de um corrupo e fora de moda do senário político maranhense.

  2. Esse maluco era pra estar na cadeia, construiu 72 galpões dentro do mato, mentindo que eram hospitais, é a certeza da impunidade, mas o voto que elege também pode alijá-lo da politica, porque um corrupto desse não representa ninguém, só seus interesses. MURAD NUNCA MAIS.

Comments are closed.