Publicidade  Prefeitura de São Luis

Geral

Depois de Sarney derrubar Fernandes, Temer pede nova indicação do PTB para Ministério

G1 – O presidente Michel Temer pediu ao PTB a indicação de um novo nome para o Ministério do Trabalho. O deputado que tinha sido escolhido, Pedro Fernandes, disse nesta terça-feira (2) que foi vetado pelo ex-presidente e ex-senador José Sarney.

O presidente fez questão de mostrar que está bem. Logo cedo, caminhou pelo jardim do Jaburu, acompanhado do segurança e do ajudante de ordens.

Michel Temer já retirou a sonda com bolsa coletora de urina. O médico confirmou que o presidente vem melhorando de uma infecção urinária. Contrariando a previsão da agenda, Temer não deu expediente no Planalto. Ministros e assessores é que foram ao Jaburu para os despachos desse primeiro dia útil do ano.

E Temer já começou 2018 com uma dor de cabeça política: o novo ministro do Trabalho. O indicado pelo PTB para substituir Ronaldo Nogueira, que pediu demissão na semana passada, era Pedro Fernandes, deputado do Maranhão.

Mas a indicação não vingou porque o filho do deputado é secretário do governador Flávio Dino, opositor de Roseana Sarney e, portanto, desafeto do ex-presidente José Sarney. Pedro Fernandes é um ex-aliado de Sarney.

Atendendo a um apelo de Temer, o presidente do PTB, Roberto Jefferson, até tentou uma reaproximação. Mas o ex-futuro ministro foi taxativo. Pedro Fernandes respondeu que não queria conversa com Sarney.

E comunicou à executiva do partido: “Infelizmente não deu, devido ao embaraço que eu crio na relação do presidente Michel Temer com o ex-presidente José Sarney.” E afirmou: “Foi veto do presidente Sarney”, gesto que a assessoria do ex-presidente negou.

O PTB já havia divulgado que a posse do novo ministro seria na próxima quinta-feira (4), mas o Planalto nem chegou a confirmar a nomeação de Pedro Fernandes.

Temer pediu ao partido que encontre outro caminho. O líder na Câmara, Jovair Arantes, diz que o indicado tinha a unanimidade da bancada e que essa ingerência de Sarney e o consequente recuo de Temer pode trazer consequências para o governo.

O PTB, agora, procura um nome para ocupar o Ministério do Trabalho.