Publicidade  Prefeitura de São Luis

Geral

“A todo momento ele falou que ia me matar”, diz advogada agredida por Lúcio Genésio

A advogada Ludmila Rosa Ribeiro, em conversa ao vivo no Facebook, com o presidente do Sindicato dos Advogados do Maranhão (Sama), Mozart Baldez, contou que foi ameaçada de morte o tempo inteiro durante as agressões praticadas pelo seu ex-companheiro Lúcio André Genésio.

“Tenho medo de sair da minha casa, a qualquer hora, e encontrá-lo em qualquer lugar. Pode ser que ele surte novamente, pode ser que eu seja agredida novamente, pode ser que eu vire mais uma estatística. Graças a Deus, agora, estou viva, contando para vocês, porque não deu certo. Ele não conseguiu finalizar o que ele tentou. A todo momento ele falou que ia me matar”, relatou.

Lúcio está foragido depois que teve a prisão decretada pelo juiz Clésio Coelho Cunha. No dia das agressões, no último domingo (12), ele chegou a ser preso, mas foi solto horas depois pelo delegado Válber Braga, do Plantão do Cohatrac, que determinou pagamento de fiança no valor de R$ 4.685,00.

A posição do delegado foi muito criticada pela advogada. “O sentimento de medo perdura. Porque a polícia o soltou e, agora, não consegue encontrá-lo. Espero que o mesmo delegado que arbitrou apenas R$ 4 mil de fiança para um empresário que ganha muito bem, empenhe-se para prendê-lo”,

O presidente do Sama prometeu representar o delegado Válber para que seja aberto um processo disciplinar contra o policial e completou dizendo que toda a advocacia está unida em achar o agressor.

“Eu espero que isso sirva de exemplo para não acontecer mais”, concluiu a advogada.

Assista: