Publicidade  Prefeitura de São Luis

Geral

Justiça não deve gerar instabilidade política

Decisões da justiça provocaram cenas de revolta e destruição em municípios do Maranhão nesta semana. A instabilidade provocada pelo excesso de liminares deixa a população sem rumo e militantes que são contra ou favor aproveitam a situação para radicalizar.

Na terça-feira, uma decisão da desembargadora Nelma Sarney no município de Governador Newton Belo levou a população a tocar fogo na prefeitura em protesto contra a decisão da magistrada que afastou a prefeita Leula Brandão e colocou o vice-prefeito Barrosinho da Rosilândia no comando do Executivo Municipal.

Hoje a mesma situação se repetiu pela manhã em Alto Alegre do Pindaré. Manifestantes tocaram fogo na cidade por conta da instabilidade política. Ninguém sabe quem é o prefeito do município. Com a constante alternância de poder, provocada por decisões judiciais, atualmente o vice-prefeito Francisco Gomes, o prefeito cassado três vezes Atenir Botelho e o presidente da Câmara Municipal, Rivaldo Santos, brigam pelo poder.

A demora em tomar decisões, a guerra de advogados e a politização da justiça têm transformada a democracia em um jogo de poder que deixa um rastro de anarquia nos municípios.

3 Comnetários

  1. Isso é uma vergonha, o Poder Judiciário, que deveria servir para esclarecer as questões, por motivos inconfessáveis ajuda a desestabilizar ainda mais o que já está caótico. Com esse jogo sórdido, a população é que paga o pato, já que os parcos recursos do município deixam de serem utilizados para o bem da comunidade e são direcionados para comprar a profusão de liminares emitidas por esses juízes e desenbargadorees corruptos.

  2. os blogueiros deste Marahão da BR 135 fazem suas postagens conforme o pagamento, se informa direitinho caro Marrapá, a revolta da população foi justamento por conta de um boato que a ex prefeita iria voltar, ex prefeita que sacou de uma conta da prefeitura e sem registro na contabilidade mais de 13 milhões em 4 anos, ex prefeita que pagou 350 mil rais para construção de uma unidade básica de saúde e que nem o alicerce fez, ex prefeita que tá devendo mais de cinco meses de salários para os contratados do município, tá bom ou o caro quer mais, se quiser vai nos orgãos fiscalizadores tipo MPF, PF, TCE, CGU e MPE as denuncias já estão la.

Comments are closed.