Publicidade  Prefeitura de São Luis

Geral

“Boca do inferno” – José Sarney, o poder e os mistérios

Reza a lenda que os tambores de Codó orquestrados por Bita teriam soado durante sete dias antes do falecimento de Tancredo Neves, possibilitando a posse do hoje senador José Sarney na Presidência.
Boca do inferno: Reza a lenda que os tambores de Codó orquestrados por Bita teriam soado durante sete dias antes do falecimento de Tancredo Neves, possibilitando a posse de José Sarney na Presidência da República.
Atualizado para acréscimo de informações

Muito misticismo e mistério rodam a figura pública de José Sarney, o oligarca mais longevo de todo o Brasil, que conseguiu ficar no poder durante quase 50 anos.

Esses mistérios voltaram a ser lembrados nas redes sociais depois dos últimos acontecimentos no Maranhão. Em artigo, Sarney vaticinou que a oposição liderada por Flávio Dino deveria “caminhar para o inferno” e, vejam só o que aconteceu depois disso:

Nada menos que três candidatos da oposição sofreram acidentes graves nos últimos dias, chegando a deixar graves feridos (com risco de tetraplegia) e uma pessoa faleceu. Os acidentes aconteceram com a deputada Eliziane Gama (sábado), Rubens Pereira Júnior (domingo) e a candidata do PCdoB Fernanda Moraes (segunda-feira).

Casos assim não são de hoje e costumam envolver exatamente aqueles de quem José Sarney possui maior rancor. Basta lembrar alguns fatos mais relevantes da política nacional.

A chegada de Sarney à presidência da República aconteceu após uma súbita crise de diverticulite de Tancredo Neves, presidente eleito para por fim à Ditadura Militar. Com estranhas dores estomacais, Tancredo veio a óbito e então Sarney assumiu a presidência da República.

Foi o que aconteceu com o inexplicável acidente do deputado Ulysses Guimarães, cujo corpo foi o único não encontrado após uma queda de seu helicóptero em 1992. Com a saída de Ulysses de cena, Sarney tomou o poder no PMDB.

Com seu poder ferido no Maranhão após o rompimento de José Reinaldo Tavares, Sarney estava com dificuldades políticas no estado. Na eleição de 2006 em que apoiou a eleição de Jackson Lago, José Reinaldo sofreu um grave acidente e seu helicóptero caiu.

Em 2010, foi a vez de Jackson Lago, grande opositor da família Sarney no Maranhão. O ex-governador concorria contra a filha de José Sarney quando também seu helicóptero caiu.

Eduardo Campos (PSB) morreu em um trágico acidente aéreo envolvendo um avião que caiu sobre uma casa na cidade de Santos, litoral de São Paulo, na manhã de ontem (13/08). Há menos de um mês, o oligarca maranhense já havia prenunciado, em tom maldizente, que o ex-governador de Pernambuco jamais chegaria à Presidência da República. 

Coincidências ou não, é bom a oposição ficar de olho. Pois o “Boca do inferno” que vive “brincando” com as palavras não brinca em serviço.

No mais, o blog deseja ao Maranhão bem longe de forças ocultas.

Comments are closed.