Publicidade  Prefeitura de São Luis

Batatã seca e 1 milhão de pessoas enfrentam rodízio de água em São Luís

reservabatata

UOL, com edição

A estiagem que afeta a região Nordeste levou à seca completa do principal reservatório que abastece a cidade de São Luís (MA). Por conta disso, os mais de um milhão de moradores da capital maranhense já entraram em um sistema de rodízio de abastecimento, com água disponível em dias alternados.

Segundo a Caema (Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão), o nível de água da represa Batatã está hoje em menos de 5% da capacidade total.

A empresa explicou que o sistema Sacavém –que abastece mais de dez bairros da região central– era abastecido metade pela represa e metade por poços profundos instalados. Sem a água da represa, o montante fornecido caiu, o que obrigou ao racionamento, que afeta hoje todos os moradores da cidade.

Para amenizar o problema, a Caema disse que “vem trabalhando em caráter intensivo, inclusive nos feriados e finais de semana, no sentido de regularizar o fornecimento de água na cidade.”

Até o momento foram perfurados onze novos poços artesianos em dois sistemas, dos quais cinco já estão em operação –os outros seis estão em fase de conclusão e devem aumentar o abastecimento de água em um milhão de litros por hora.

Dois desses poços estão recebendo equipamentos nesta segunda-feira (28). A previsão é que entrem em operação em até 10 dias.

A companhia prometeu ainda, com a conclusão das obras de substituição da adutora do Italuís, em junho, a expectativa é que seja regularizado o abastecimento de água em São Luís.