Publicidade  Prefeitura de São Luis

Por que eles amam o Maranhão?

eu amo o maCatorze dias após o lançamento da campanha “Eu amo o Maranhão” – baseada na falácia de que só ama o nosso estado quem está disposto a bater continência para os Sarney – apenas meia dúzia de apaniguados do clã abraçou a ideia, que teve um efeito contrário e virou chacota nas redes sociais.

Entre os desavergonhados que ainda se atrevem a mencionar a campanha, estão alguns dos responsáveis pelo atraso no Maranhão. São jornalistas, radialistas, familiares e outros que orbitam em torno dos interesses da oligarquia. Os mesmo que contribuíram para que o estado fosse exposto de forma humilhante para o Brasil e para o mundo diante do colapso no Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

Conheça o perfil de alguns deles:

José Adriano Cordeiro Sarney foi quem deu o start na campanha, no último dia 14. Pré-candidato a deputado estadual, o neto de José Sarney (PMDB) segue os passos do avô desde cedo e, atualmente, tem feito de tudo para aparecer.

1781467_591424894270027_747277758_n (1)Ele já foi alvo da Polícia Federal por chefiar o esquema de empréstimos consignados no Senado Federal, durante a passagem de Sarney pela presidência da Casa, e, recentemente, ficou conhecido como “office-boy de propina”, após ser relacionado ao esquema de compra de parlamentares com recursos da Petrobrás, comandado pelo lobista João Augusto Henriques.

Marco d’Eça e Gilberto Léda são os principais asseclas do clã na blogosfera local. O primeiro é o imprudente editor de política do folhetim oligárquico O Estado do Maranhão, enquanto, o segundo, além de outras coisas, também é assessor fantasma de Luis Fernando Silva (PMDB) na Secretaria de Infraestrutura do Maranhão.

De branco na foto, Leda Lima, a mulher de d’Eça, é conhecida pelas nomeações fantasmas que acumulou na Prefeitura de São Luís. É outra que não quer perder a “peixada”. Agora assombra a assessoria de Comunicação da Assembleia Legislativa do Maranhão.

1743413_591427860936397_788363319_nMadrinha do casamento de D’Eça e Léda, Jacqueline Heluy é irmã do secretário da governadora Roseana Sarney, José Antonio Heluy, que usou o Partido dos Trabalhadores (PT) para conseguir a secretaria de Trabalho e Economia Solidária do Maranhão. É amiga de Roberto Costa (PMDB) e sempre atende os caprichos do colega.

Conforme veiculado no Marrapá, a jornalista já andou “mexendo os pauzinhos” no site da Assembleia com claro intuito de causar intriga entre os membros da Casa.

O líder da oposição, Rubens Junior (PCdoB), Marcelo Tavares (PSB), Bira do Pindaré (PSB), Othelino Neto (PCdoB) e, até mesmo, Eliziane Gama (PPS) já foram vítimas do amor de Jack Gaivota pelo Maranhão.

Comments are closed.