Publicidade  Prefeitura de São Luis

Roseana Sarney, Luís Fernando e a crise no Maranhão

Rose-LF-Kelly_Umes
A dupla sempre aparece em festas. Na crise, a omissão e a incompetência mostram suas caras.

Quem acompanha o cenário político maranhense não se assusta com o posicionamento nada satisfatório da governadora Roseana Sarney (PMDB) para solucionar o problema. A incompetência e a falta de sensibilidade para perceber o óbvio de uma crise que chocou o mundo foram a principal marca da filha de José Sarney.

A entrevista concedida pela governadora que insiste em não enxergar a gravidade do problema foi tema de todos os jornais do Brasil. Enquanto licitava champanhe, caviar, lagosta e outras iguarias, Roseana concedeu entrevista dizendo que a violência aumentou porque o Maranhão “está mais rico”. Para completar, disse ainda que a morte de 39 pessoas dentro de Pedrinhas até setembro estava “dentro do esperado”. Um show de incompetência e insensibilidade!

E o que falar do pré-candidato a governador apoiado por ela? Luís Fernando Silva simplesmente sumiu do mapa. No dia 2 de janeiro, o jornal O Estado do Maranhão (pertencente à família Sarney) destacou que os primeiros dias do ano estavam sendo de “muito trabalho” para Luís Fernando, que estava em São José de Ribamar.

No dia seguinte, a crise estourou e o pré-candidato conhecido como Picolé de Chuchu aparentemente derreteu. Ninguém ouve falar dele. Ninguém ouviu de sua boca uma única menção de solidariedade. Menos ainda viu qualquer ação sua para ajudar no combate à crise de Segurança e de Penitenciárias.

Luís Fernando, há 40 anos, faz parte desse grupo político que envergonha nosso estado e, mesmo diante desta situação da maior gravidade, o que vemos nele é um pré-candidato omisso, inerte e que se esconde de suas responsabilidades.

O que se vê é que Luís Fernando não tem competência para administrar absolutamente nada. Não tem envergadura moral para enfrentar uma crise e nem sequer discutir soluções. Mas, assim que as coisas se acalmarem, certamente veremos o aliado de Roseana Sarney andando para lá e para cá, fingindo que nada aconteceu e dando muitas entrevistas falando de si próprio. Esquecendo, mais uma vez, os problemas do estado que ele ajuda a (des)governar.

Comments are closed.