Publicidade  Prefeitura de São Luis

Flávio Dino acusa o golpe

Castelo e Flávio Dino: desistência faz aumentar as suspeitas de acordo

Em depoimento ao portal IG, reproduzido inclusive pelos editores locais do portal comunista Vermelho, o presidente da Embratur, Flávio Dino (PCdoB), mostrou que segue a risca o projeto de tentar ser governador em 2014 com o apoio das forças de oposição ao clã Sarney no Maranhão.

José Reinaldo Tavares (PSB), o grande arquiteto deste projeto, defende que Flávio abra mão da disputa pela Prefeitura de São Luís em 2012 para garantir a presença do prefeito da capital em seu palanque nas eleições para o governo do estado.

Padrinho político de Dino, o agora Secretário de Governo da prefeitura declarou, durante a posse, que o comunista apoiava a sua decisão de aceitar ser o articulador da campanha de reeleição do tucano João Castelo.

Para o IG, Dino deixa claro que não quer ser candidato nas eleições de Outubro e ratifica a tese da construção de uma aliança política com vistas em 2014, mostrando-se devidamente posicionado no tabuleiro político manipulado pelo ex-governador.

Leia a entrevista:

DO IG

O presidente da Empresa Brasileira de Turismo (Embratur) negou que será candidato à Prefeitura de São Luís, capital do Maranhão, em 2012. Segundo ele, existe um projeto político maior em curso: a disputa pelo governo do Estado em 2014.

Dino é apontado por pesquisas como o favorito na disputa rumo à prefeitura da capital maranhense. “Nesse momento, faltam 13 dias para o fim do prazo de desincompatibilização. Eu tenho um desejo claro de não ser candidato. É um desejo. Mas eu tenho compromissos assumidos, um conjunto de forças políticas e acima de tudo milhares de maranhenses que esperam um processo de mudança e de correção de rumos do nosso estado pra suprir essa contradição inaceitável de um estado rico e ao mesmo tempo rico em pobreza”, disse Dino ao iG.

Ainda segundo ele o falecimento do filho, Marcelo, em fevereiro deste ano também pesou na decisão. Marcelo Dino, de 13 anos, morreu supostamente vítima de um erro médico em Brasília. “Estou vivendo uma tragédia pessoal que exige um esforço meu adicional e um compromisso com a minha família. É impossível superar. Eu não falo no passado, falo no presente. Não existe superação para a dor da perda”, ressaltou.

Nesse momento, a aposta de Dino é apoiar candidatos alinhados com o seu projeto político de ser governador em 2014. Entre os nomes ventilados como os favoritos do presidente da Embratur estão o deputado federal Edivaldo Holanda Júnior (PTC), a deputada estadual Eliziane Gama (PPS), ex-deputado federal Roberto Rocha (PSB) e o ex-prefeito da capital Tadeu Palácio (PP). “Nós temos aliados de grande valor, bem posicionados, temos um processo em curso em construção de uma aliança política ampla para 2012 e 2014 e eu acredito que nós teremos daqui até esse prazo final uma boa solução. Algo que permita eu não ser candidato e ao mesmo tempo nós apoiarmos um candidato vitorioso, vencedor e que encarne esse programa de mudança”, disse.