Paço do Lumiar responde a professores que querem jornada de trabalho menor - Marrapá

Destaque

Paço do Lumiar responde a professores que querem jornada de trabalho menor

A Prefeitura de Paço do Lumiar, comandada pelo prefeito Domingos Dutra, reagiu à iniciativa de um grupo minoritário de professores que fez protesto para reivindicar redução da jornada de trabalho. Para a administração municipal “é lamentável que justamente os que devem ser exemplo para toda a sociedade se prestem a servir a interesses políticos, ao insistirem em demandas sem respaldo social e legal. Veja abaixo a íntegra da nota.

A Prefeitura Municipal de Paco de Lumiar repõe a verdade diante de informações intencionalmente inverídicas envolvendo uma minoria de professores da rede pública municipal:

1 – Os professores que realizam manifestações prestaram concurso público para uma jornada de trabalho de 40 horas semanais e agora querem trabalhar apenas 30 horas, porém, não justificam os motivos;

2 – O Município de Paco do Lumiar é obrigado a cumprir a Lei, exigindo dos professores que se submeteram ao concurso de 40 horas que cumpram as 32 horas-aulas a que estão legalmente obrigados, sob pena de causarem prejuízos aos alunos e à população luminense;

3 – Por Lei, os professores de 40 horas deveriam receber hoje R$ 2.557,74 como determina o Governo Federal, por ser este o piso nacional da categoria. No entanto, em Paço do Lumiar, o Município paga R$ 3.413,10 como salário inicial, mais de 33% acima do piso;

4 – Com relação às progressões (gratificações por títulos de especialização, mestrado e doutorado), há uma comissão realizando o estudo do impacto financeiro dessa medida ao Município;

5 – O Município esclarece sobre as relotações de professores:

– Todas obedecem a necessidades pedagógicas;

– Os professores prestaram concurso para a rede municipal e não para escolas específicas;

– Mudança de turno está ocorrendo somente para os que estavam irregularmente cumprindo uma jornada de 40 horas apenas no noturno (EJA), quando na verdade têm de obedecer à disponibilidade de 2 (dois) turnos para o Município, visando a cumprirem as 32 horas-aula;

– Os professores relotados não moram em Paço do Lumiar. São todos de São Luís, portanto nenhum trabalha perto de seus domicílios. Atualmente, 89% dos efetivos da rede de Paço do Lumiar residem em São Luís ou em São José de Ribamar;

– O estatuto é claro ao afirmar que a lotação de professores se dará a critério da administração pública, conforme o Art. 6, inciso III, da Lei Municipal 424/09 (Plano de Carreiras, Cargos e Remuneração do Magistério Público do Município de Paço do Lumiar);

6 – As carências ainda existentes de infraestrutura nas escolas são heranças de gestões passadas que estão sendo superadas de acordo com as disponibilidades financeiras. O Município também trabalha para garantir que os gestores tenham nas escolas todo o material necessário para as atividades e o desenvolvimento de projetos;

7 – Por fim, o Município de Paço do Lumiar lamenta que justamente os que devem ser exemplo para toda a sociedade se prestem a servir a interesses políticos, ao insistirem em demandas sem respaldo social e legal.

3 Comnetários

  1. Respeito essa profissão, afinal os professores ajudam muito na educação das crianças e jovens, mas também não se pode negar que gostam muito de dinheiro, essa luta para ganhar mais e trabalhar menos é constante e em quase todos os municípios.

  2. A mentira tem pernas curtas. Em primeiro lugar os professores não querem trabalhar menos, a proposta de adequação de carga horária para 30 horas foi feita pela SEMED através do secretário anterior, e o atual unilateralmente não quis levar adiante e trata os docentes de maneira desrespeitosa. O parecer do CNE, estabelece que os professores de 40 horas devem trabalhar 27 em sala com alunos e não 32 como quer o prefeito Futi. Segundo, o piso nacional deve ser pago a professores com nível médio (curso normal), conforme art 2º da Lei 11.738 de 2008, e não a profissionais com graduação e pós graduação com os que estão reivindicando esse direito. Terceiro, não há material para trabalhar, falta pincel, apagador, diário de classe, e etc, além da falta de merenda escolar, os alunos estão saindo das escolas na metade dos turnos. Isso não é culpa da gestão anterior é da atual. Quarto as progressões só são feitas mediante judicialização. ,

  3. Não é um grupo minoritário não, é a totalidade dos professores da rede. E não tem nada a ver com questões pedagógicas as relotacos e perseguição e desvio de foco do q realmente nos professores queremos. Domingos Dutra está mostrado pq se tem tanto ódio da esquerda no Brasil de hj. São os governantes de esquerda os que mais perseguem os trabalhadores. E são os mais mentirosos e inconsequentes. Não queremos trabalhar menos e ganhar mais QUEREMOS APENAS Q NOSSOS DIREITOS SEJAM RESPEITADOS. Nem mais nem menos

Comments are closed.