Othelino Neto sai na defesa do Congep - Marrapá

Geral

Othelino Neto sai na defesa do Congep

reuniao_secretarios

O deputado Othelino Neto (PCdoB) contestou, na sessão desta segunda-feira (2), críticas feitas ao governo por conta do Conselho de Gestão Macro Política do Estado do Maranhão. O vice-presidente da Assembleia Legislativa lembrou que a oposição ao grupo Sarney criticou, à época, o Congep, denunciando a então governadora Roseana Sarney por promover uma farra com a criação de 162 cargos para o chamado “Conselhão”.

Othelino lembrou que este órgão, criado com o nome de Conselho de Gestão Macro Política do Estado do Maranhão, através da Medida Provisória 147 de abril de 2013, criou 162 cargos, seis em cada uma das 27 regionais do Estado.

“E para que a então governadora fez isso? Foi o que nós apelidamos, inclusive veiculado em órgãos da imprensa nacional, de Bolsa Eleição. Foram cargos criados apenas para acomodar aliados políticos do interior do Estado, em especial aqueles que tinham perdido a eleição de prefeito. Aquela imoralidade, à época, foi denunciada pela oposição, nós, eu, deputados Bira, Rubens Júnior e  Marcelo, fizemos a denúncia e nós lemos aqui cada um dos nomes que foram contemplados no Conselhão e fizemos uma representação para que deixasse de existir”, esclareceu Othelino Neto.

O vice-presidente explicou que a crítica fora feita, na época, à farra eleitoreira e não à existência do Conselhão, até porque ele fora criado pelo então governador José Reinaldo Tavares, para ser um Conselho composto, exclusivamente, por secretários de Estado, que se reuniam uma vez, mensalmente, ou mais uma vez, dependendo da convocação do governador para discutir os assuntos de interesse do Estado.

O deputado frisou que este Conselho era constituído apenas de secretários de Estado. “Mas o governo de Roseana com o objetivo, como eu já disse eleitoreiro, criou mais 162 cargos. A crítica foi feita na época em razão desta imoralidade. O que existe hoje, no governo Flavio Dino, é o Conselho com a composição exclusivamente dos secretários”, frisou Othelino Neto.

Comments are closed.