O cadáver político de Sarney e o triste fim do jornal O Estado do Maranhão - Marrapá

Geral

O cadáver político de Sarney e o triste fim do jornal O Estado do Maranhão

Sarney lendo jornalCunha Santos – Para um cadáver político sem nenhuma esperança de ressurreição ou reencarnação (cruz credo!) a ousadia de José Sarney ultrapassa os muros do cemitério. Ele não se conforma mais em demitir, está nomeando sucessores dos secretários do governador Flávio Dino. E, para tanto, se utiliza de jornalistas e blogueiros que comiam sobejos de corrupção durante o governo Roseana Sarney. Como não há mais corrupção no Estado, choram e berram todos os dias.

O esforço para derrubar o secretário Jefferson Portella, que acabou com as fugas terceirizadas no Complexo Penitenciário de Pedrinhas e trabalha cotidianamente para reduzir os índices de criminalidade no Maranhão, herança maldita do governo Roseana Sarney, tem a cara do medo. Medo, sim, Pânico, pois se a Polícia Civil e o Serviço de Inteligência continuarem investigando é capaz da família Sarney inteira e seus auxiliares irem parar na cadeia. Isso, sem levar em conta a concorrência da Polícia Federal que também quer todos eles lá. João Abreu já foi.

Sobram à evidência as razões pelas quais, Sarney e seus prepostos usam sua rede de intrigas contra a permanência do jornalista Robson Paz na Secretaria de Comunicação. Acabou a esganação por dinheiro público nas Secretarias de Estado. Jornalistas e blogueiros de Sarney não podem mais pagar farras, mansões e carrões com o dinheiro do povo.

E não há nem como duvidar da competência, da seriedade e da sinceridade profissional do jornalista Robson Paz. Ele é um exemplo irrefutável de como um profissional de imprensa deve agir e de como deve se comportar um Secretário de Estado.

Quanto a mim, espero estar falando nesse assunto pela última vez. Apenas cobrei publicamente o que me é devido. Cansei de esperar e é meu direito. Nunca disse que existe mensalinho na Prefeitura, como querem fazer crer. Cometi um erro técnico ao usar a expressão “sem vínculo empregatício”. Também não sofri nenhum tipo de pressão para retirar a matéria. A matéria é minha, o blog é meu, coloco e retiro o que eu bem entender. Não queiram fantasiar sobre isso. Não falei em nome de nenhum colega de trabalho. Ninguém me sugeriu nem deu procuração para tanto. Só registrei a injustiça de ver os que todos os dias ofendem, insultam e mentem sobre o prefeito Edivaldo Holanda Júnior e o governador Flávio Dino sendo pagos pela Prefeitura no cumprimento dessa missão.

O jornal “O Estado do Maranhão” acusou-me de achaque na edição de hoje. Logo quem! Longe dos cofres públicos, com o fim da corrupção nesse Estado, esse jornal e todo o Sistema Mirante de Comunicação estão em petição de miséria. A TV só filma buracos. Até onde não tem mais. Também por falta de repórteres. Estão quase matando de cansaço os poucos jornalistas que restaram, pois mais da metade dos profissionais que ali trabalhavam foram demitidos. O jornal encolheu, é sujo, a diagramação é uma droga, a redação dos textos é lamentavelmente sofrível, demitiu muita gente, não tem redatores e só trata de intrigas. Vai fechar. A grana dos Sarney só está dando para pagar advogados que os livrem do amontoado de acusações de corrupção.

Portanto, deixem-me em paz, senhores. Eu nunca fiz nem faço parte de nenhuma quadrilha no Maranhão ou em qualquer lugar. Nem de colarinho branco, nem de colarinho azul.

Comments are closed.