Mais uma farsa prova politicagem no caso Cajueiro - Marrapá

No Banner to display


Destaque

Mais uma farsa prova politicagem no caso Cajueiro

Os “moradores” da comunidade Cajueiro realizaram, hoje, outra invasão a prédios públicos do governo do Estado, desta vez na Secretaria de Direitos Humanos. Exigindo a paralisação das obras do Porto São Luís – que é privado e somente uma decisão judicial poderia fazê-lo – eles acamparam no local.

As farsas têm início com o líder do movimento, o advogado Rafael Silva, que diz defender os direitos humanos mas já foi alvo da Justiça por agressão de uma mulher.

Outra mentira foi uma foto distribuída nas redes sociais de um “morador” chamado seu Davi. Ele aparece deitado no chão, como se estivesse sendo maltratado. O problema é que de outro ângulo dá para perceber um sofá vazio ao lado dele. Ou seja, a fotografia foi apenas mais um teatro dos arruaceiros.

Além disso, a residência do seu Davi não foi objeto de desapropriação da decisão judicial, e nem está em nenhum pedido.

Essas farsas vão destruindo uma a uma as politicagens que cercam o caso do Cajueiro. E provando que o único objetivo dos “moradores” é fazer politicagem com o intuito de atacar o governo.