Hemodiálise: Os erros do passado que a oposição sarneyzista tenta acobertar - Marrapá

Destaque

Hemodiálise: Os erros do passado que a oposição sarneyzista tenta acobertar

Pesa sobre a ex-governadora do estado, Roseana Sarney, a antecipação de 65% do valor das obras de seis centros de hemodiálise no Maranhão. O recurso foi repassado, em 2014, para a empresa vencedora da licitação. A medida adotada por ela favoreceu o calote da empresa e um atraso histórico na entrega dos serviços. Desde de 2015, o atual governo diz ter adotado providências administrativas e judiciais necessárias ao ressarcimento do dano ao erário estadual.

Não há harmonia nesse processo. Roseana Sarney comprometeu o atendimento dos renais crônicos em mais de quatro anos. Entenda o caso: o procedimento adotado pela administração pública para escolha da empresa aconteceu no ano de 2013. No ano seguinte, sem que nenhuma obra tivesse de fato iniciado, a gestão estadual à época autorizou o repasse de 65% do recurso do plano do BNDES.

Roseana Sarney e o então secretário estadual da Saúde, Ricardo Murad, nunca priorizaram a assistência à pacientes renais crônicos no Maranhão. No final do mandato deles, estavam sob gestão da Secretaria Estadual da Saúde somente 25 poltronas de diálise no Hospital Dr. Carlos Macieira, em São Luís.

O caso ganhou nova capítulo. Em entrevista, nesta sexta-feira (4), no Bom dia Mirante, o jornalista Roberto Fernandes abordou o atraso na entrega dos seis centros de hemodiálise com o secretário estadual da Saúde, Carlos Lula. O gestor revelou que desde de 2015 o atual governo busca o ressarcimento do recurso liberado irregularmente na gestão do governo de 2014, assim como a conclusão das obras dos centros.

“As obras foram licitadas em 2013, as empresas contratadas em 2014. E ainda em 2014, sem que tivesse sido levantada uma parede, o Governo do Estado do Maranhão, à época, pagou 65% da obra. E desde então a gente briga com a empresa na justiça e administrativamente para ela concluir as obras. Eu tenho duas certezas: essas obras serão entregues e as pessoas responsáveis por essa irresponsabilidade com dinheiro público serão punidas. Conseguindo isso judicialmente, muito provavelmente vamos licitar outra empresa para terminar essas obras e cobrar judicialmente que seja estornado aos cofres públicos do estado o dinheiro recebido”, disse Lula.

O secretário pontou que a empresa que recebeu 65% dos recursos tem a responsabilidade de entregar os seis centros construídos. “O pagamento feito pelo governo do Estado em 2014, quando não era esse governador, quando eu não era secretário, foi feito. Então, a empresa, obviamente, tem que arcar com as consequências desse pagamento”, disparou.

No dia 17 de setembro de 2019, o governo estadual inaugurou o Centro de Hemodiálise São Luís. O serviço acrescentou 40 poltronas de diálise à gestão estadual, mas o deputado César Pires alegou que somente 14 estão em funcionamento. O tema também foi abordado na entrevista. Carlos Lula respondeu: “Com as 40 máquinas temos a capacidade para atender até 240 pessoas. E quantas pessoas esperavam pelo tratamento de hemodiálise? 90! Então nós não precisamos de uma vez só vez ter todas as 40 máquinas funcionando”, disparou.