Em livro, Janot conta episódio envolvendo Roseana Sarney e presídio de Pedrinhas - Marrapá

Destaque

Em livro, Janot conta episódio envolvendo Roseana Sarney e presídio de Pedrinhas

Depois que o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot afirmou ter entrado armado no Supremo Tribunal Federal para matar o ministro Gilmar Mendes e depois se suicidar, aumentou a curiosidade em torno do livro de memórias de Janot, ‘Nada menos que tudo’.

Na publicação, ele conta, entre outros episódios, um envolvendo a ex-governadora do Maranhão, Roseana Sarney, após uma série de rebeliões no complexo prisional de Pedrinhas, com 60 presos mortos em 2013.

Segundo o ex-PGR, uma inspeção determinada por ele constatou que o governo de Roseana havia perdido o controle do presídio. Ele relatou conversas ásperas ao telefone com a então governadora, “que adotou uma postura arrogante de questionar o relatório (da inspeção)”.

Diante disso, Janot redigiu uma petição de intervenção federal no Maranhão e deixou à mostra, bem em cima de sua mesa. A petição, porém, era um “blefe” do ex-PGR: “Joguei a carta da intervenção federal na mesa para pressionar o governo do Maranhão a tomar medidas fortes para melhorar as condições do presídio”. Com o “blefe”, ele alega ter conseguido, por exemplo, a troca da comida servida no presídio de Pedrinhas.

Depois desse episódio, Janot decidiu que focaria sua atuação como PGR na melhoria do sistema carcerário. Ele criou um plano de reformulação do sistema, batizado de “segurança sem violência”, que acabou ficando em segundo plano em razão da “lava jato”. A operação, segundo Janot”, mudou completamente sua atuação como chefe do MPF.

2 Comnetários

  1. Ele, Janot, que esteve muito tempo na PGR, deveria contar todo processo espúrio da cassação do governador Jackson Lago pelo TSE. Uma hora a verdade vem à tona. Quem sabe Eros Grau diz o que todos ganharam com aquela sacanagem armada por Zé de Sarney e Lula.

Comments are closed.