Decreto das armas: Roberto Rocha está cego e fora da realidade - Marrapá

Destaque

Decreto das armas: Roberto Rocha está cego e fora da realidade

O senador Roberto Rocha deu uma clara demonstração de que está completamente fora da realidade. Lambe-coturno do presidente Bolsonaro, ele até inventa opiniões nacionais para embasar suas defesas ao governo.

Ao votar a favor do decreto que facilita aquisição e o porte de armas, o autointitulado Asa de Avião diz que o fez porque “a população já se manifestou sobre esse debate nas eleições passadas”.

“Logo, me sinto confortável para dar a minha opinião favorável ao decreto das armas”, justificou RR.

O problema é que o senador anda tão desconexo da realidade que confundiu votar em Bolsonaro com apoio às armas.

Pesquisa DataFolha de abril deste ano mostrou que 61% dos brasileiros defendem que posse de armas seja proibido. No levantamento anterior, divulgado em outubro do ano passado, o percentual de pessoas contrárias ao porte estava em 55%.

Os números só provam que Roberto Rocha anda cego por Bolsonaro.

7 Comnetários

  1. “ART. 142”

    “Art. 142. As Forças Armadas, constituídas pela Marinha, pelo Exército e pela Aeronáutica, são instituições nacionais permanentes e regulares, organizadas com base na hierarquia e na disciplina, sob a autoridade suprema do Presidente da República, e destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem”.

    Está mais do que evidente que o Congresso Nacional, representado pelo Senado Federal, e a Câmara do Deputados, juntos com STF, pretendem desmoralizar e preterir, de todas as formas, o poder Executivo, na pessoa do Presidente Jair Messias Bolsonaro.

    Um Presidente que, como os demais, foi eleito democraticamente em escrutínio popular, conforme prevê nossa Constituição Federal. Não há que se contestar, em nenhuma hipótese, sua legitimidade!

    Vem exercendo sua função com fidalguia, patriotismo, humildade e honradez, trazendo pra si, a responsabilidade de propor mudanças capazes de encaminhar o País para novos rumos.

    Tem adotado medidas, que têm repercutido negativamente dentro do Legislativo e do Judiciário. E não poderia ser diferente; porque buscam atender os anseios de uma sociedade abusada de tanto ver a roubalheira e a corrupção prosperarem!

    Vieram à tona, através da Operação Lava Jato, as práticas espúrias, exercidas dentro dos três poderes, com a co-participação ativa do empresariado brasileiro e de organismos constitutivos do Estado. O povo, enfim acordou!

    Nosso Presidente busca uma renovação que colide com os interesses de boa parte dos congressistas e do Supremo. Por isso e por não fazer concessões impróprias, amargará derrotas históricas ao longo do seu governo.

    Nesse contexto inebriante e incerto, parece-me melhor prevenir do que remediar, pois a baderna, a desordem, a falta de ética e de disciplina implantadas nesse País nesses 16 anos passados, têm que ser combatidos com os instrumentos legais disponíveis. E o que temos de mais eficaz para enfrentar as forças corporativas que batem de frente com nosso Presidente é o Art.142, de nossa Constituição.

    Faça-o valer Presidente, exercendo sua autoridade; feche o Congresso e desconstitua o STF, pois se não o fizer o farão com V.Exa.

    Paz em Cristo,

    Pedro Barros.

  2. O editor dessa matéria, esse sim é o que está fora da realidade, arma não matar sozinha, pois esse editor é uma pessoa ideologia, e não técnica.

  3. Pesquisa DATAFOLHA disse que bolsonaro não seria eleito, tão verdadeiro quanto uma cédula de três reais.

  4. Percebe-se claramente que este veículo de comunicação está a procura de “oportunidades”, e não em busca do jornalista imparcial. Tá muito óbvio!!
    Não se preocupe. Há pessoas que levam a sério o que foi dito.

Comments are closed.