Geral

Uma "nova" avenida cheia de velhos problemas

Avenida Santos Dumont

A “nova” Avenida Santos Dumont ainda não tem 6 meses de uso e já está tomada por buracos – situação que se repete por toda a malha asfáltica de São Luis.

Inaugurada em 8 de setembro de 2010, em comemoração aos 398 anos de São Luis, a avenida apresenta vários outros problemas: falta de meio-fio, falta de ciclovia, sinalização deficiente e pontos de ônibus inadequados, uma vez que os atuais são pequenos, frágeis e facilitam a ação dos vândalos, “além de respingarem bastante durante as chuvas”, como afirma uma moradora da região. Os transeuntes também reivindicam o fechamento dos terrenos baldios, através da aplicação da Lei de Muros e Calçadas.

Como se já não bastasse os problemas acima, motoristas, moradores e usuários da via reclamam da péssima qualidade do “asfalto sonrisal” usado pela prefeitura e que provavelmente não resistirá ao período chuvoso. Durante um breve passeio pelos 2.100 metros da avenida é possível constatar vários pontos de alagamento, lombadas e buracos que começam se formar. Reparos são feitos periodicamente pela SEMOSP, entretanto os buracos sempre voltam a aparecer.

O engraçado é que os assessores do prefeito João Castelo (PSDB), na tentativa de isentarem o chefe de sua responsabilidade, culpam as administrações anteriores pelo caos viários causado pelos buracos que se multiplicam pelas ruas e avenidas de São Luis. Para os assessores castelistas, a atual situação é resultado da péssima qualidade do asfalto e serviços de recapeamento e aplicação asfáltica realizados durante as gestões de Jackson Lago (PDT) e Tadeu Palácio (PMDB). E no caso da Santos Dumont, a culpa é de quem? Só não vale culpar São Pedro.

E assim caminha São Luis: prestes a completar 400 anos, a cidade corre um sério risco de ir para o buraco, enquanto o prefeito João Castelo continua em sono profundo.

Acorda, Castelo!

Deixe uma resposta