Destaques

Imagem do dia: A frustração da Famem com a traição dos senadores

A imagem acima foi publicada no portal da Federação dos Municípios do Maranhão (Famem) no dia 04 deste mês, quando prefeitos do interior do Estado saíram de Brasília com a promessa dos senadores Edison Lobão (PMDB) e Roberto Rocha (PSDB) de investimento na ordem de R$ 160 milhões para a saúde dos municípios, através das emendas impositivas. Entretanto, como se sabe, a promessa virou um blefe e o acordo foi descumprido.

Chama a atenção que o trio de senadores usou apenas uma desculpa para não aceitar o envio de todas as emendas impositivas para a saúde dos municípios: porque o dinheiro seria distribuído pelo Governo do Maranhão.

Na visão dos parlamentares, a medida poderia beneficiar politicamente o governador Flávio Dino (PCdoB), como o pasquim da oligarquia fez questão de destacar na edição de hoje. “Roberto Rocha empreendeu esforço para garantir que Flávio Dino não pudesse colher sozinho os louros por investimentos nos municípios. Com R$ 160 milhões passando pelo Palácio dos Leões, o tucano acredita que a fatura seria toda colocada na conta do comunista, mesmo a verba sendo federal e indicada por parlamentares”.

Infelizmente, milhões de maranhenses foram prejudicados por picuinha política dos senadores do Maranhão. O tiro, no entanto, pode sair pela culatra, afinal os prefeitos não ficaram nada satisfeitos com a traição, ainda mais pelos motivos alegados.

3 Comnetários

  1. Eu avisei pra FAMEM não dar para acreditar em político, ainda mais sendo cria do grupo Sarney, Roberto Rocha(Asa de Avião), Edson Ladrão(Esqualido) e João Aberto(Carcará), ano que vem meus queridos é ano eleitoral e nós não esqueceremos esse golpe de reeleição Boa sorte.

  2. Prejudicar milhões de pessoas por causa de uma isso sim é ser bandidos e covardes e ainda tem coragem de pedir voto pro povo

  3. O pior de tudo eh que os mais prejudicados (os mais humildes nos interiores do estado) são os primeiro a votarem nestes seres desprezíveis (estes senadores) e muitas vezes por míseros favores às vésperas da próxima eleição

Comments are closed.