Governistas têm cinco candidatos para disputa da Prefeitura de Imperatriz – Marrapá
Publicidade  Prefeitura de São Luis

Destaque

Governistas têm cinco candidatos para disputa da Prefeitura de Imperatriz

O blog fez, ontem, um panorama da sucessão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, em São Luís. Hoje é a vez de Imperatriz. Na principal cidade da Região Tocantina, o grupo do governador Flávio Dino (PCdoB) conta com cinco prováveis pré-candidatos ao cargo que hoje é de Assis Ramos (MDB).

E dois deles pertencem ao mesmo partido de Dino. O deputado estadual Marco Aurélio (PCdoB) inicia o novo mandato na Assembleia já de olho na Prefeitura de Imperatriz. Parlamentar mais votado da cidade, com mais de 25 mil votos, ele obteve 20,30% da preferência do eleitorado do município e parte como o favorito do grupo.

O outro nome do partido do governador é o secretário de Infraestrutura do Estado Clayton Noleto (PCdoB). Um dos principais auxiliares de Dino, ele tem um vasto portfólio de obras em Imperatriz que podem alçá-lo em caso de candidatura.

Outro nome forte que integra a base governista é o ex-prefeito Ildon Marques (PP). Segundo colocado com pouco menos de três mil votos em relação ao prefeito Assis Ramos em 2016, a ajuda de Flávio Dino pode ser o que faltava para colocá-lo na Prefeitura novamente. Candidato a deputado federal em 2018, ele saiu da cidade como o mais votado.

Quem também já manifestou o desejo de concorrer ao cargo de prefeito de Imperatriz foi o presidente da Câmara Municipal, o vereador José Carlos (PDT), o ‘Pé de Pato’. Além dele, o deputado estadual eleito Rildo Amaral (SD) também integra a gama de pré-candidatos governistas. Como trunfo, ele tem os mais de 22 mil votos obtidos em 2018, ficando apenas atrás de Marco Aurélio na votação que o levou a Assembleia.

No campo governista, nome é o que não falta para derrotar o prefeito Assis Ramos nas eleições municipais de 2020 em Imperatriz.

3 Comnetários

  1. Se o Governador der bobeira de novo, deixando Marco Aurélio de lado, vai levar nova taca e se queimar sem necessidade, como ocorreu em 2016. Clayton teve 2.000 votos para deputado federal em 2010, deve estar empolgado porque o poder ilude. Dá um bom deputado em 2022. Hildon teve uma merreca para deputado Federal , Rildo teve 22 mil espalhado , pois não teve isso em Imperatriz . E o vereador, bem, o vereador … quem sabe no futuro ? Na minha opinião , tem que bater o martelo no partido ainda em 2019, para evitar perdas desnecessárias , tal quando ainda em julho de 2007, o PCdoB estampou nos jornais a pré-candidatura de Flávio Dino a prefeito de São Luís, para 2008.

Comments are closed.