E-mail: redacao@marrapa.com
Rádio Timbira Ao Vivo

– Leandro Miranda
  • Política
  • Depois de confrontar determinação do PSB, Zé Reinaldo se encontra com Geraldo Alckmin

    O deputado federal Zé Reinaldo (PSB) esteve reunido na manhã desta sexta-feira, 28, com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. A reunião política acontece dois dias depois do parlamentar confrontar determinação do PSB e votar a favor da reforma trabalhista.

    O PSB resolveu fazer uma caça as bruxas de quem não seguiu a orientação do partido, inclusive com a destituição de presidentes estaduais da legenda. No Maranhão, Zé Reinaldo sofreu critícas de correlegionários, como o deputado estadual Bira do Pindaré.

    Essa reunião com Geraldo Alckmin, em meio a diversos protestos pelo país inteiro, mostra que o pretenso candidato ao Senado pode ter negociado seu voto, visando novos rumos partidários. Afinal, todo o grupo a qual ele circula é contra o atual Governo Temer e suas medidas.

    “Navalha” não esconde de ninguém seu rancor com a executiva nacional do PSB, desde que foi alijado da disputa ao Senado em 2014, em favor de Roberto Rocha.

    Além do mais, o parlamentar sempre teve trânsito entre as principais lideranças políticas do PSDB e uma mudança não está descartada depois desse encontro com Alckmin e numa data simbólica.

    28 de abril de 2017 às 10:50 | Por:

  • Política
  • Paralisação geral contra reformas trabalhistas altera rotina de São Luís

    Diversos protestos foram registrados nas primeiras horas da manhã na região metropolitana de São Luís. As manifestações fazem parte da paralisação geral convocada por diversas centrais sindicais contra as reformas trabalhista e previdenciária do governo Michel Temer.

    Na região do Bacanga, a barragem foi fechada por manifestantes que atearam fogo em pneus, situação idêntica na BR-135, mais precisamente no KM-54, em Bacabeira, também bloqueada. Alguns moradores de bairros como na Cidade Operária aproveitaram para reivindicarem melhorias na comunidade, e protestam com barricadas. Existem registos de manifestações no Porto do Itaqui.

    Agências bancárias deverão ficar fechadas durante o dia A alternativa é utilizar caixas eletrônicos e serviços pela internet, assim como lojas do comércio. As universidades particulares e públicas do estado avisaram que não haverá aula. As empresas de avião aconselham os passageiros com bilhetes comprados a alterarem a data, em razão da adesão dos agentes aeroviários.

    Apesar da justiça garantir a circulação de pelo menos 60% da frota de ônibus, nenhum carro foi visto pela manhã e o protesto deve seguir até às 16h.

    Várias categorias aderem ao movimento convocado pelas centrais sindicais.

    28 de abril de 2017 às 9:06 | Por:

  • Política
  • PSB ratifica posição contra reforma trabalhista, fortalecendo Luana Costa e enfraquecendo Zé Reinaldo

    O PSB se distancia a largos passos do Palácio do Planalto. A decisão da executiva nacional em destituir filiados que votaram a favor da reforma trabalhista confirma uma conjetura anterior à votação. Integrante da base aliada de Temer, o PSB controla nada menos que o Ministério das Minas e Energia, gatilho da Lava-Jato e entre os mais cobiçados orçamentos da Esplanada.

    O partido ingressou rachado na votação da reforma. Após fechar questão na segunda-feira, 24, pelo voto ‘contra’ a reforma, as controvérsias internas deixaram transparecer frouxidão no posicionamento da legenda em relação à votação da PL 6787 que alterou em 100 pontos a Consolidação das Leis do Trabalho. O racha no partido foi exposto na comissão especial da Câmara que analisou a proposta: o deputado Danilo Cabral (PE) votou contra e Fábio Garcia (MT) a favor. Os dois são do PSB que tem 35 deputados na Câmara. Na votação da reforma participaram 30.

    O desembarque do PSB do governo Temer vem sendo conjeturado pelos filiados. A votação unânime contra a reforma trabalhista que o presidente Temer se empenhou manifestaria posição monolítica da legenda.

    A bancada do Maranhão simbolizou o racha: o deputado federal Zé Reinaldo votou a favor, portanto, contrário à orientação da executiva; enquanto que a deputada Luana Costa votou contra, acatando decisão partidária. Zé Reinaldo quer sair candidato ao Senado pela legenda. Não tem demonstrado desconforto, pelo contrário, suas relações com o Planalto é um trunfo de campanha. A retomada do projeto da Refinaria está nesse elenco de parceria política.

    O PSB presente na votação deu 14 votos a favor e 16 contra a reforma. Temer chamou líderes da legenda e outros que considera infiéis para enquadra-los. Nesse sentido, a deputado Luana Costa se juntaria entre os fiéis partidários e infiéis a Temer, enquanto Zé Reinaldo estaria mais próximos do grupo dos deputados Tereza Cristina (MT), líder do partido na Câmara; Maria Helena (RO), Danilo Forte (CE) e Fábio Garcia (MT), destituídos do comando estadual, por a favor da reforma.

    28 de abril de 2017 às 0:39 | Por:

  • Política
  • Hilton Gonçalo ganha fôlego para evitar cassação da esposa, prefeita de Bacabeira

    O juiz Sebastião Joaquim Lima Bonfim, plantonista do TRE-MA, emitiu uma liminar em favor da prefeita de Bacabeira, Fernanda Rêgo Gonçalo (PMN), adiando audiência marcada para ontem, 26, em processo que pede a cassação do mandato dela e do vice Bita Torres (PP). A dupla é suspeita de abuso de poder econômico e uso de “Caixa 2”, nas eleições do ano passado.

    Fernanda Gonçalo é esposa do prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo (PCdoB), ele ainda mantém o controle da prefeitura de Pastos dos Bons, administrada pela irmã, Iriane Gonçalo (SD). Nesse trio de municípios que o comunista tenta sustentar uma futura candidatura ao Governo do Estado. Por isso, Hilton atua nos bastidores da justiça para tentar evitar a cassação da esposa.

    O TRE-MA pretende julgar todos os processos relacionados às eleições do ano passado até junho deste ano. Portanto, o comunista ganhou fôlego para evitar a perda da Prefeitura de Bacabeira, mas não por muito tempo.

    27 de abril de 2017 às 17:06 | Por:

  • Política
  • BBB de Dória desmorona em SP; Braide silencia

    Em São Paulo, cidade mais rica do país, começa a desmoronar a midiática gestão do ex-apresentador do programa Aprendiz, João Dória, do PSDB. Tratando a administração pública como uma edição de reality show, o prefeito paulistano tem abdicado de fazer o dever de casa enquanto gestor.

    Segundo o site UOL, o gestor de Facebook suspendeu 37 obras em 28 bairros, entre elas: creches, hospitais, escolas e UPAs.  A Folha de São Paulo também relata, em reportagem de hoje, 27, que Doria cortou cartolina, tinta guache e sulfite, além do mais, tem atrasado o repasse de verbas para escolas. Prova de que a educação anda longe de ser prioridade do tucano.

    No Facebook, o neopupilo de Dória, Eduardo Braide (PMN), esperneia contra a gestão Edivaldo Holanda Junior (PDT) gratuitamente. Há uma semana, porém, o rebento da Máfia de Anajatuba estava em São Paulo tecendo loas para a atuação do prefeito de São Paulo. O parlamentar foi até a capital paulista pegar aulas de administração pública com o vice-prefeito, Bruno Covas, neto do ex-governador de São Paulo, Mário Covas. Pelo jeito o “aprendizado”, não foi dos mais enriquecedores.

    Braide, tal qual Dória, precisa descer do palanque – o primeiro como perdedor, claro.

    É hora de somar forças por São Luís, que apesar das chuvas, das demandas cada vez mais crescentes e da conjuntura econômica nada favorável, consegue manter salários dos servidores em dia, escolas funcionando, serviços básicos ofertados à população, obras avançando e a cidade fluindo dentro da normalidade.

    27 de abril de 2017 às 15:54 | Por:

  • Geral
  • Arrependido, Asa de Avião arremete e manda sinais de fumaça para Flávio Dino

    O jornal O Estado do Maranhão tem razão em desconfiar de Roberto Rocha (PSB), publicizando na edição de hoje as suspeitas de seus donos em relação ao planos eleitorais do autointitulado Asa de Avião.

    O senador quer sim se aproximar de Flávio Dino (PCdoB), coisa que tentou na eleição de 2016 em São Luís e tenta agora, por meio de deputados, prefeitos e lideranças nacionais.

    Asa de Avião entendeu que seu projeto eleitoral para 2018 é fadado ao fracasso, embasado na conjuntura e em estudos quantitativos e qualitativos.

    Sem prestígio ou expressividade política para alçar voo solo, calcula que somente ao lado do atual governador se legitimaria para a sucessão em 2022 – o que seria óbvio, não fosse a sua traição contumaz.

    No íntimo mais íntimo, e de pernas cruzadas, o insidioso senador não tem dúvidas da reeleição do ex-parceiro de chapa, por isso sua mobilização desesperada em direção ao Palácio dos Leões é urgente.

    Falta só combinar com os “patifes comunistas”.

     

    27 de abril de 2017 às 14:37 | Por:

  • Política
  • Confira as principais mudanças que a reforma faz na CLT

    O projeto aprovado pela Câmara dos Deputados nesta quarta-feira, 26, e que agora segue para ser avalizado pelo Senado, altera cem pontos da Consolidação das Leis do Trabalho. Vejas as principais mudanças:

    Prevalência do negociado sobre o legislado

    Fortalece acordos individuais em detrimento da lei e de acordos e convenções coletivas. Poderão ser objeto de acordo individual: parcelamento de férias, banco de horas, jornada de trabalho, jornada em escala (12×36). Alguns pontos, porém, não poderão ser negociados, como FGTS, 13º salário e seguro-desemprego.

    Jornada de trabalho

    Flexibiliza a jornada para permitir que o empregado trabalhe 12 horas ininterruptas, sem intervalos, por 36 horas de descanso (jornada de 12 x 36), mediante mero acordo individual escrito, convenção coletiva ou acordo coletivo, e sem intervalos.

    Férias

    Permite o parcelamento das férias, conforme acordo, em até três vezes, desde que um dos períodos tenha pelo menos 14 dias.

    Hora de percurso

    Extingue o pagamento da chamada “hora de percurso” (horas in itinere) – o tempo gasto pelo empregado para chegar ao emprego, no caso de local de difícil acesso, ou não servido por transporte público, em condução fornecida pelo empregador – não será mais computado na jornada de trabalho.

    Danos morais e patrimoniais

    Restringe as hipóteses e estabelece limites para as indenizações por danos morais e patrimoniais.

    Imposto sindical

    Torna facultativas as contribuições de custeio ou financiamento sindical, exigindo prévia autorização individual para a sua cobrança e desconto.

    Justiça trabalhista

    Afasta dos tribunais regionais do Trabalho e do Tribunal Superior do Trabalho (TST) a possibilidade de anular acordos e convenções coletivas contrárias à lei. Nega ao trabalhador a gratuidade processual plena quando faltar à primeira audiência e quando as perícias tiverem resultado negativo, retirando dos juízes a possibilidade de exame caso a caso. Prevê punições para as pessoas que agem com má-fé em processos judiciais na área trabalhista, seja ela o reclamante, o reclamado ou interveniente.

    Rescisão por acordo

    Permite a extinção do contrato de trabalho “por acordo”, reduzindo o valor do aviso prévio indenizado e a multa de 40% sobre o saldo do FGTS pela metade. Nesse caso, o trabalhador poderá sacar 80% do saldo do FGTS. Mas não terá direito ao seguro-desemprego. A rescisão passará a ser feita na própria empresa, na presença dos advogados do patrão e do trabalhador, e não mais em sindicatos como prevê a legislação hoje.

    Trabalho intermitente

    Cria a figura do contrato de trabalho não contínuo. O trabalhador poderá atuar apenas alguns dias da semana, ou algumas horas por dia, conforme negociação com o empregador. No período de inatividade, o trabalhador poderá prestar serviços a outros contratantes. O valor da hora de trabalho não poderá ser inferior ao valor horário do salário mínimo nem ao dos demais empregados da empresa.

    Teletrabalho (home office)

    É caracterizado como prestação de serviços preponderantemente fora das dependências do empregador (não necessariamente em casa), por meio da utilização das tecnologias da informação e comunicação. O contrato individual de trabalho precisa especificar quais são as atividades realizadas pelo funcionário.

    Terceirização

    Cria quarentena, de pelo menos 18 meses, pela qual o empregador não poderá demitir o trabalhador efetivo e recontratá-lo como terceirizado.

    Mulheres

    Grávidas ou lactantes (mulheres que estão amamentando) poderão trabalhar em ambientes considerados insalubres, por meio da apresentação de atestado médico, garantindo que não há risco à mãe nem ao bebê.

    Sucessão empresarial

    Quando uma empresa comprar a outra terá de arcar com as obrigações trabalhistas.

    27 de abril de 2017 às 12:16 | Por: