Publicidade  Prefeitura de São Luis

Destaque

Flávio Dino deve cortar gastos para amenizar crise nacional

Com a tendência da continuidade da agenda de retrocessos econômicos de Michel Temer com Jair Bolsonaro, a crise continuará em 2019.

Por isso, Flávio Dino já planeja alguns cortes de gastos na máquina estadual para honrar compromissos e manter o serviço público funcionando com eficiência.

O agravamento da crise nacional tem sido cruel com os repasses para estados e municípios.

Para atravessar mais um ano de tempestade sem sentir muito os efeitos, Dino vai enxugar a máquina. Corte de gastos como carros alugados e fusão de secretarias estão nos planos.

O objetivo do governador é fazer com que o Maranhão não sinta os efeitos da crise que outros estados sentiram, quando atrasaram salários, paralisaram investimentos e serviços públicos foram fechados nos últimos quatro anos.

Mesmo nesse cenário de crise profunda, sobretudo com Temer, o Maranhão viu hospitais, escolas, restaurantes populares e outros investimentos serem feitos.

O desejo de Dino é que essa realidade continue. Mesmo com a continuação da crise.

18 Comnetários

    1. a crise é nacional, o que você faria? o Maranhão não é uma ilha econômica, tudo que acontece no mundo nos atinge.

  1. Crise? O Dólar fechando a 3.69, um presidente eleito pelo povo sendo aclamado por todo o país(mais parecia final da copa do mundo), um juiz respeitado indo fazer parte dos seus ministros. A crise certamente vai estar para o PT e seus aliados ladrões

  2. Quando a fusão de pasta parte de Bolsonaro Dino acha errado. Quando é ele que deixa de ser juiz pra ser político tudo bem, quando é Moro pra ser Ministro é absurdo. Votei em FD, mas aí já tá ficando feio.

  3. Não posso acreditar que isso seja verdade. Usar esse assunto para faltar com os compromissos assumidos junto ao povo é absurdo. Ele falou que tudo estava certo para o tratamento da água e a construção da ponte em São Félix. Que mentiroso!! #Dino nunca mais

  4. Será Preocupação ou medo ?
    Preocupação da crise continuar
    E afetar o Maranhão de jeito
    Ou medo de uma possível retaliação do governo federal

Comments are closed.