Publicidade  Prefeitura de São Luis

Destaque

Lanterninhas superestimam debate da Mirante

Tentando se apegar a algo palpável para reverter um improvável segundo turno, asseclas do sarneyzismo usam o debate da TV Mirante, que ocorrerá na noite de hoje, como a redenção da oposição maranhense. E para isso tentam inflar os lanterninhas Maura Jorge e Roberto Rocha superestimando a participação deles no embate.

Sem argumentos plausíveis, eles usam como exemplo o debate para a Prefeitura de São Luís, ocorrido em 2016, que apontou um crescimento do candidato Eduardo Braide na reta final. Só que a conjuntura da época não se adequa a atual realidade estadual.

Primeiro que o que levou Braide ao crescimento em 2016 foi a frustração com o despreparado Wellington do Curso, até então segundo colocado nas pesquisas. Com a elevado rejeição do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, os muito indecisos acabaram se decepcionando quando o dono do curso abriu a boca e acabaram migrando o voto para Braide.

Naquela época, outro fator que pesou para a preponderância dos debates, não só da Mirante, mas também da TV Guará, foram os ataques a ônibus e a escolas desferidos por facções criminosas. Com um clima de cidade sitiada, a população acabou ficando mais dentro de casa e, consequentemente, acompanhou o debate.

Outro fator que “prendeu” as pessoas em casa foram os últimos momentos da novela global Velho Chico, que comoveu o Brasil com a morte do ator Domingos Montagner e coincidiu exatamente com o período do debate eleitoral. As novelas do horário nobre da emissora dos Marinho costumam ter grande audiência, sobretudo em suas últimas semanas.

A TV Mirante, de fato, lidera a audiência em São Luís. O problema é que em nível estadual a realidade não é a mesma, já que a emissora dos Sarney não chega a 25% da população do Maranhão. Ela pega, no máximo, nos grandes centros urbanos. Nas demais cidades o povo assiste a programação nacional da Globo pela antena parabólica.

Portanto, Maura Jorge e Roberto Rocha tentam fugir do vexame apostando todas as fichas, erroneamente, no debate da Mirante. O poder de influência do embate, mesmo a cinco dias das eleições, não deve mudar muito o cenário no Maranhão.

O resto é tentativa desesperada dos sarneyzistas de conseguir reverter uma quase certa eleição de Flávio Dino em primeiro turno.