Publicidade  Prefeitura de São Luis

Destaque

Rapidinhas da quarta-feira

Telhado de vidro

Com dois mandatos de deputado estadual e um de vereador em Timon, o “novo” Alexandre Almeida foi denunciado ao Ministério Público do Maranhão por utilizar duas fontes de recurso para o pagamento de um mesmo evento junino em 2015, num esquema que envolveria as entidades Icocais e Vida e Ação e que teria causado prejuízo de quase meio milhão aos cofres públicos.

Balança pensa

Alexandre ainda passou pela direção do Inmeq entre 2009 e 2010 sob as bênçãos de Roseana Sarney. Na época, após uma extensa auditoria que constatou dezenas de irregularidades, o Inmetro definiu que a gestão dele era um verdadeiro “caos organizacional” e pediu a intervenção parcial do órgão no estado, cobrando do TCE a prestação de contas de R$ 18 milhões em convênios.

Debaixo do colchão

Segundo o Divulgacand, Almeida, que gosta de chamar concorrentes na disputa pelo Senado Federal de “corruptos” em seu programa eleitoral, aumentou o patrimônio em 258% em dois anos. Em meio a bens, patrimônios e aplicações, chama a atenção o volume de dinheiro que o candidato a senador do PSDB declara ter em espécie: 800 mil reais.

Tio Patinhas

Sobrinho do finado ex-deputado federal João Alves, Alexandre é sócio de Amanda Rocha (filha do senador Roberto Rocha) no escritório Nilo e Almeida Advogados Associados, de Brasília, com capital social de R$ 1 milhão.

Vivendo e aprendendo a jogar

Não tão sortudo como o tio arrolado no escândalo dos “Anões do Orçamento”, aquele que ganhou 221 vezes em loterias, Almeida é obrigado a trabalhar duro para sobreviver. Além de deputado no Maranhão e empresário do ramo do direito no Distrito Federal, ele também exerce a advocacia como sócio do luxuoso escritório Cordeiro, Laranjeiras e Maia Advogados, de Pernambuco.

Caiu do ninho

Lanterna nas pesquisas de intenções de voto, perdendo até para a bolsominion Maura Jorge, Roberto Rocha dava como certa a eleição de Geraldo Alckmin e, em troca de fortalecer o palanque tucano no estado, apostava em um próprio ministério a partir de 2019. Como a candidatura do PSDB à presidência não decola, o autointitulado Asa de Avião vê o sonho com a Esplanada dos Ministérios ficar cada vez mais distante.

Maragato

Na disputa pelo Senado Federal, o candidato do PDT, Weverton Rocha, foi o que mais cresceu. Subiu 9 pontos percentuais em menos de um mês. Eliziane Gama (PPS) cresceu 6 pontos. Edison Lobão (MDB) e Sarney Filho (PV) se mantiveram na liderança, oscilando dentro da margem de erro.

Abastado

Candidato a deputado federal pelo PR, o ex-prefeito de Miranda, Junior Lourenço, recebeu R$ 1 milhão da direção nacional do partido para gastar na campanha.

Comantário

  1. E agora, será que o Roberto Racha ainda vai dizer que “Não foi eleito pela força de FDino”???

    O “ASA” tem que procurar o lugar dele, que é sempre debaixo da ASA de alguém!!

Comments are closed.