Publicidade  Prefeitura de São Luis

Destaque

Rapidinhas da quarta-feira

Quem não tem colírio…

Asa de Avião deve subir o tom na campanha, principalmente contra o governador Flávio Dino, que o elegeu debaixo do braço em 2014. Pelo menos os três programas eleitorais dele, aos quais o blog já teve acesso, endurecem o discurso contra o governador comunista, inclusive com participações do deputado Eduardo Braide. O senador atacará ferozmente aquele que lhe deu mandato.

De quem são os votos?

Falando em Roberto Rocha, que gosta de se vangloriar por ter sido senador com mais de um milhão de votos, um ato da sua campanha ao governo hoje, na cidade de Tutoia, mostrou a quem pertence, de verdade, os votos que ele recebeu em 2014. Na última eleição, Asa ganhou na cidade com 53,39%, ou seja, 10.473 votos. Mas não conseguiu reunir nem 1% disso em comício realizado na calçada da Igreja Matriz do município. Em evento fracassado, RR percebeu que a votação que recebeu em 2014 é quase que 100% mérito de Flávio Dino.

Menos Asfalto

Lideranças dos bairros Jordoa e Felipinho acusam o vereador de São Luís e radialista da Mirante, Marcial Lima, de boicotar os trabalhos de asfaltamento realizados pela Prefeitura naquela região. Candidato a deputado estadual com o discurso de oposição ao prefeito Edivaldo Holanda Júnior, Marcial faz política na área. Desde a semana passada, as máquinas responsáveis pela pavimentação das vias vêm sendo danificadas. O blog não conseguiu contato com o vereador até a publicação da nota.

A Val de Maura Jorge

Tal qual o presidenciável Bolsonaro, que possui uma servidora fantasma paga com verba da Câmara dos Deputados – a nacionalmente famosa Val do Açaí – a sua candidata no Maranhão, Maura Jorge, também tem um calcanhar de aquiles pelo mesmo motivo. A Val da ex-prefeita de Lago da Pedra chama-se Gercina, e recebeu, sem saber, salário como servidora da Assembleia Legislativa do Maranhão quando Maura era deputada. Quem ficou com o salário da mulher que trabalha como empregada doméstica na casa dos Jorge ninguém sabe até hoje. O caso corre na Justiça.

Fora, Sarney!

A maior e mais efetiva comunidade de campanhas online para mudanças, a avaaz.org, lançou uma nova iniciativa para expurgar da CBF – entidade máxima do futebol brasileiro – nomes que representam péssima gestão e representatividade na Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol). Os alvos da manifestação são o presidente da CBF, Coronel Nunes, e o vice-presidente, Fernando Sarney, responsáveis pela votação no Marrocos como sede da Copa do Mundo de 2026, que resultou em um suposto boicote da entidade sul-americana aos clubes brasileiros. A revolta no meio do futebol é geral com o filho de José Sarney.

Fracasso

Fracasso, vexame, fiasco. Todas essas palavras podem ser usadas para classificar os atos de campanha de Roseana até o momento. Hoje, uma foto do evento dela em Amapá do Maranhão virou motivo de chacota nas redes sociais. Um comício para menos de 50 pessoas foi realizado debaixo de um pé de manga no município. Caminhadas sem público, carreatas sem carro e reuniões sem eleitores têm sido a tônica da campanha da ex-governadora até aqui. Por isso, a comunicação de Roseana tem omitido a maioria das suas visitas das redes sociais.

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Com relação à postagem divulgada neste blog no dia 28.08.2018, intitulada “Condenado, Jornal dos Sarney descumpre ordem do TRE e pode pagar R$ 100 mil”, o pasquim da oligarquia Sarney apresenta a seguinte NOTA DE ESCLARECIMENTO:

  1. O Direito de Resposta, concedido nos autos da Representação 0600334- 70.2018.6.10.0000, teve como causa a veiculação no Jornal “O ESTADO DO MARANHÃO”, das expressões “foi denunciado por estar inelegível”, “teve os direitos políticos cassados” e “cometeu crime de abuso de poder”, todas parte do editorial “Flávio Dino Inelegível”, publicado em 09/08/2018.
  2. Entendeu o Eminente Desembargador que tais expressões não refletem a realidade dos fatos, pois “a sentença da Juíza Eleitoral de Coroatá não teve por objeto a análise de natureza criminal” e “o pré-candidato não teve seus direitos cassados, mas, unicamente, a inelegibilidade declarada em razão de suposta prática de crime de abuso econômico, situações que, apesar da tênue distinção, possuem implicações diversas”.
  3. O direito de resposta concedido levou em conta, portanto, tecnicidades jurídicas que, efetivamente, os jornalistas desconhecem. A DECISÃO JAMAIS FOI CONCEDIDA PARA DESMENTIR A DECRETAÇÃO DE INELEGIBILIDADE DO GOVERNADOR FLÁVIO DINO, pois esta é verdadeira e baseada em decisão judicial proferida pela juíza de Coroatá, Anelise Nogueira Reginato.
  4. Por fim, a decisão que concedeu o direito de resposta está SUSPENSA, até julgamento do recurso pelo TRE.