Publicidade  Prefeitura de São Luis

Geral

Léo Cunha flerta com o governo, mas faz doce para definir futuro do PSC

Enquanto “faz doce” para definir o futuro partidário do PSC, flertando com Roseana Sarney (MDB), Maura Jorge (PSL) e Roberto Rocha (PSDB), o deputado estadual Léo Cunha continua a votar com Flávio Dino (PCdoB) na Assembleia Legislativa do Maranhão e comemorar a chegada do programa Mais Asfalto, do Governo do Estado, nos municípios onde faz política.

Para evitar se comprometer com o Palácio dos Leões, porém, o parlamentar usa a “revolta” da correligionária Luana Alves, esposa do ex-prefeito Ribamar Alves, como justificativa à demora em bater o martelo sobre o destino do PSC.

Atual coordenadora da bancada maranhense em Brasília, Luana aproximou-se de Roberto Rocha (PSDB) depois que o marido foi preso em flagrante por suposto abuso de uma menor em Santa Inês.

A deputada federal responsabiliza o PCdoB até hoje pela prisão e pela voluptuosa derrocada de Ribamar Pezão.