Publicidade  Prefeitura de São Luis

Geral

Censura da família Sarney contra o jornal O Estado de São Paulo pode acabar

Maranhão da Gente

O jornal O Estado de S. Paulo entrou com recurso no Supremo Tribunal Federal (STF) contra decisão do ministro Ricardo Lewandowski que manteve a proibição de o periódico publicar informações no âmbito da Operação Boi Barrica envolvendo o empresário Fernando Sarney, filho do ex-presidente José Sarney (MDB-MA).

Em petição protocolada na segunda-feira, 28, a defesa do jornal pede que o ministro reconsidere a decisão ou que o caso seja submetido à análise da Segunda Turma do Supremo.

Lewandowski não chegou a apreciar o mérito do processo ao negar o pedido no início deste mês. Segundo o ministro, o instrumento legal usado na apelação (recurso extraordinário) não é válido em casos de medidas cautelares como as liminares. Ele determinou que o processo seja encaminhado à 12ª Vara Cível de Brasília para que julgue o mérito da ação “como bem entender”.

Ao recorrer da decisão do ministro, o Estado alega que a manutenção da censura afronta garantias e direitos assegurados pela Constituição Federal, como a livre manifestação de pensamento e a liberdade de imprensa. Os advogados também ressaltam a “estranheza” com a “teratológica situação jurídica” a que se submete o jornal, que se acha impedido de divulgar informações de “irretorquível interesse” do País.

“A decisão do ministro Lewandowski significa prorrogar ainda mais esse estado de censura que o Supremo tem condenado várias vezes. Tenho esperança de que o ministro revendo o assunto reconsidere a decisão que proferiu e mande processar o recurso extraordinário. São dois direitos conjugados: o direito da imprensa de prestar a informação e o direito da coletividade de recebê-la”, disse o advogado do Grupo Estado Manuel Alceu Affonso Ferreira.

“Espero que não tenhamos de esperar mais oito anos e nove meses pela decisão a ser tomada”, afirmou Affonso Ferreira, em referência ao período de censura imposto ao Estado, que completa nesta quinta-feira, 31, 3.166 dias.

A censura diz respeito à publicação de gravações no âmbito da Operação Boi Barrica que sugerem ligações do então presidente do Senado, José Sarney, com a contratação de parentes e afilhados políticos por meio de atos secretos.

Na época, advogados do empresário Fernando Sarney alegaram que o jornal feria a honra da família ao publicar trechos de conversas telefônicas gravadas na operação com autorização judicial. Procurado pela reportagem, Lewandowski disse que vai analisar o recurso. “(Recorrer) é um direito que o jornal tem”, afirmou o ministro do STF.

Comantário

  1. maranhenses do bem—maranhenses decentes—–VAMOS DEFENDER ==NOSSO MARANHÃO === de todos os ladrões/ladronas/ ratões /ratazanas que estão loucos, desesperados SEM O COFRE DO MARANHÃO e querem o cofre utilizando a bruxaria e as trevas do mal. VAMOS NOS UNIR, E UTILIZANDO NOSSA ÚNICA FORÇA —abaixo de DEUS —-NOSSOS VOTOS EM FICHA LIMPA 2018 E SEMPRE—–===FICHA LIMPA===e adeus ladrões–adeus ladronas—adeus ratões—adeus ratazanas de milhões , bilhões de dinheiro público do MARANHÃO—-adeus —TUDO NA PAZ E AMOR DEFENDENDO ==NOSSO===MARANHÃO… super fácil .

Comments are closed.