Publicidade  Prefeitura de São Luis

Destaque

Caso Décio Sá: Polícia reabre inquérito após Junior Bolinha afirmar que Aluízio Mendes e Ricardo Murad coagiram Jhonatan a ligar Raimundo Cutrim ao crime

A Superintendência de Investigações Criminais (Seic) destravou o inquérito policial que investiga a morte do jornalista Décio Sá, assassinado a tiros em 23/04/12, e já teria descoberto mais pessoas envolvidas no crime, conforme publicou com exclusividade o blog do Neto Ferreira.

O caso voltou à tona após o depoimento de José Raimundo Chaves Júnior, o Júnior Bolinha, Interrogado em 19 de janeiro no Departamento de Combate ao Crime Organizado (DCCO). Bolinha cita os nomes de diversos políticos, magistrado e autoridades, inclusive que fizeram parte das primeiras investigações, como participantes da trama.

Quando perguntado se ele sabe de algum direcionamento das investigações por parte das autoridades responsáveis pelo assassinato de Décio Sá, visando mascarar os reais autores do crime, Bolinha disse ter certeza que houve manipulação do então secretário de Segurança Aluízio Mendes e do então secretário de Saúde Ricardo Murad para incriminar o deputado Raimundo Cutrim.

Bolinha também afirmou que a campanha de Aluízio Mendes teria sido financiada pelo empresário da construção civil Marcos Regadas, que por sua vez, é amigo íntimo do chefe do Grupo de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Maranhão, promotor Marco Aurélio Rodrigues.

Junior Bolinha também ressaltou que a amizade entre Aluízio Mendes e Marco Aurélio Rodrigues é antiga, da época que os dois eram da Policia Federal em Roraima.

Ele acusou Marco Aurélio Rodrigues, de ocultar – para favorecer alguém -, um depoimento extremamente importante prestado na cidade de Santa Inês por Eduardo Lira, que fez acusações gravíssimas e não foram juntadas ao inquérito. “Promotor Marco Aurélio não juntou o real depoimento nos autos”, diz trecho do depoimento.

O crime:

O jornalista de O Estado, Aldenísio Décio Leite de Sá, de 42 anos, foi assassinado com seis tiros de pistola ponto 40 na noite do dia 23 de abril de 2012 na Avenida Litorânea, em São Luís. Décio foi morto por Jhonathan de Sousa Silva, que está preso, executor agenciado por José Raimundo Sales Chaves Júnior, o Júnior Bolinha; comandado pelos empresários Gláucio Alencar Pontes  Carvalho e José de Alencar Miranda Carvalho – pai de Gláucio –, incomodados com as denúncias feitas do ‘Blog do Décio’.

Leia o depoimento na íntegra:

 

5 Comnetários

  1. Na época nao se explicou nada direito. Espero que agora digam algo que convença. Afinal quem mandou matar Decio Sa? O MA quer saber.

Comments are closed.