Publicidade  Prefeitura de São Luis

Destaque

Áudio indica que diretora da prefeitura de SP recebeu propina de consórcio

Veio a público nesta quarta-feira (21) uma crise de corrupção dentro da Prefeitura de São Paulo. Um áudio vazado mostra a diretora do Departamento de Iluminação da maior cidade do Brasil, Denise Abreu, recebendo propina para favorecer o consórcio FM Rodrigues e prejudicar o concorrente, o consórcio Walks.

Esse é o consórcio que já faz a manutenção da iluminação da cidade através de um contrato emergencial com a Prefeitura.

E é justamente a FM Rodrigues, vencedora da Parceria Público Privada (PPP) da iluminação em São Paulo, que está no centro do furacão.

A PPP da Iluminação na capital paulista envolve um contrato de R$ 7 bilhões. No áudio obtido pela reportagem da Rádio CBN, Denise e sua secretária revelam uma propina mensal no valor de R$ 3 mil.

Segundo a diretora, o dinheiro foi repassado pela FM Rodrigues que deixaria de pagar o valor porque teria os contratos encerrados com a Prefeitura. A “mesada” da empresa seria paga em troca de favorecimento.

Ela também acusa os secretários Marcos Penido (Serviços e Obras) e Júlio Semeghini (Governo) de receberem propina da Eletropaulo. Na gravação, ela diz que “tudo mundo sabe que eles levam uma ‘bola’ da Eletropaulo.”

Denise Abreu foi exonerada do cargo pelo prefeito João Dória. O gestor determinou a instauração de procedimento investigatório pela Controladoria Geral do Município sobre a regularidade do processo de seleção da Parceria Público Privada da Iluminação.

Leia a transcrição do áudio:

DENISE ABREU – Eu vou te dar os seus três (R$ 3 mil)… Mas a empresa (FM Rodrigues) não tem mais contrato e eu não vou ter como arcar daqui pra frente com isso. É o último mês. Simplesmente não tem como. 

SECRETÁRIA – Nem em dezembro?

DENISE ABREU – Tô te dando agora.

SECRETÁRIA – Então, [o pagamento] que era de novembro?

DENISE ABREU – Não tem como [pagar em dezembro]. Você não tá vendo os movimentos? E ninguém faz nada, querida. Entendeu?

SECRETÁRIA – Uhum

DENISE ABREU – É um escândalo o que tá acontecendo em São Paulo e não tem um jornalista para empurrar isso. Então, querida, dançou. Não tem mais PPP, não tem mais nada, pode esquecer. Não tem fonte. Não tem fonte.

SECRETÁRIA – Tá bom, doutora. Tudo bem.

Segundo a publicação da CBN, o dinheiro seria uma mesada paga pela FM Rodrigues à Denise em troca do favorecimento. Parte do montante seria repassado para a secretária. Procurados pela CBN, a diretora do Ilume e a empresa negaram o pagamento de propina.