Publicidade  Prefeitura de São Luis

Geral

Caso Cabo Campos: a trajetória política do Deputado PM parece ter chegado ao fim

O deputado estadual Cabo Campos (DEM) já encontraria dificuldades de reeleição devido a sua fraca atuação na Assembleia Legislativa, somada a iminente perda do apoio da Igreja Mundial do Poder de Deus do enrolado Pastor Cowboy Waldomiro Santiago e ao descontentamento da corporação da Policia Militar dos Bombeiros.

Se não bastassem todos esses fatores, o Deputado, que entre os 42 eleitos em 2014, foi o último colocado com pouco mais de 19 mil votos, agora se envolveu em um caso de agressão física contra sua esposa Maria José Brandão Marques Campos.

Em reposta a agressão, uma representação assinada pelo Fórum Maranhense de Mulheres já foi encaminhada à Presidência da Casa, ao Conselho de Ética e à Procuradoria da Mulher da Assembleia pedindo rapidez no julgamento do parlamentar.

A Procuradora da Mulher na Alema, deputada Valéria Macedo (PDT) confirmou que o deputado estadual Cabo Campos poderá ser acionado pela Comissão de Ética Casa por decoro parlamentar e ter o mandato cassado.

Em nota, a deputada Valéria repudiou os atos do deputado, e informou que a Procuradoria aguarda a conclusão das investigações para que, assim, peça à Comissão de Ética que instaure processo disciplinar contra o parlamentar.“Entendo, pessoalmente, que a prática de violência doméstica por um parlamentar constitui quebra do decoro parlamentar suficiente para ter o mandato cassado”, pontuou Valéria Macedo.

Não custa nada lembrar que Cabo Campos foi denunciado na Polícia pela própria esposa, por agressão física e verbal. O desembargador José Luiz Oliveira de Almeida tomou uma decisão impedindo o parlamentar de frequentar a residência e o local de trabalho de sua esposa.

Consta da decisão contra o parlamentar, o afastamento do lar, domicílio ou local de convivência com a esposa; proibição de aproximação cujo limite mínimo é de 200 metros; proibição de manter contato com ela por qualquer meio de comunicação. Se houver descumprimento, pode ser decretada prisão preventiva.

O último registro do parlamentar na Assembleia foi feito durante entrega de título de Cidadão Maranhense ao deputado federal Roberto de Lucena (PV-SP), no dia 22 de fevereiro.

Em suma, esse último caso de agressão domiciliar parece ter jogado uma pá de cal nas pretensões políticas do deputado Campos e, principalmente, nas suas já pequenas chances de reeleição ao parlamento estadual.

5 Comnetários

  1. Parece não. ..Game Over pra ele…o poder não ficou pra todo mundo. ..e mto menos dinheiro. ..já era…outro Pedro Celestino da política maranhense. ..nunca mais se elegerá nem pra presidente de associação.

      1. kkkkkkkkkkkkk, menos ne!
        não apoio o mesmo, mas como policial ele foi um homem valoroso, mas apos ser deputado ele degringolou por um lado onde nós policiais honrados jamais vamos andar.
        Que Deus o abençoe e que nossa classe consiga ter um representante honrado.

  2. Nossa! Sem palavras, em Turilândia ele até orava nas cabeças dos fiéis. E agora? Seria mais bonito se pronunciar pedindo perdão e se identificar como um lobo fantasiado de cordeiro.

  3. todos tem sua razão no pensar, porém nunca o julgamento será a medida certa para a balança funcionar….brigas na familia …estão fazendo a vida desse homem um inferno já falam até em tomar o mandato dele……quantos ai ja bateiro em mulher… ah! não é isso que desejamos porém é o cabo campos, não o conheço,,,,não é meu candidato….nunca falei com eles… tem que ser punido sim! para que possa respeitar os direitos e deveres de ser ….

Comments are closed.