Publicidade  Prefeitura de São Luis

Geral

“Não consegui até agora nem uma bicicleta para levar para o meu Estado”, diz Pastor Bel

Na abertura dos trabalhos no Congresso Nacional em 2018, o senador Pastor Bel (PRTB), suplente do senador Edison Lobão (PMDB), usou a tribuna para fazer um desabafo por até agora não ter conseguido arranjar nenhum recurso junto aos Ministérios do Governo Michel Temer, nem mesmo com o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho (PV), seu aliado político.

Diante da sua falta de prestigio, Bel, que assumiu o cargo após uma articulação da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) de olho nos votos de parte da comunidade evangélica, chegou a entregar sua vaga no Senado.

“Por mim, já tinha entregado este negócio aqui, porque a gente vem lutando, eu tenho batido na porta dos ministérios, de todos os ministérios, para ver se consigo algum recurso para o meu Estado. Não consegui até agora nem uma bicicleta para levar para o meu Estado”, disse.

Para assumir o cargo por quatro meses, o pastor receberá dois salários extras, no valor de quase R$ 70 mil, como ajuda de custo no início e final do mandato, além do subsídio pago mensalmente e dos benefícios. Talvez, por isso, também comentou que Lobão é como um pai para ele. O peemedebista pediu licença de 120 dias alegando motivos pessoais.

Por fim, Bel também contou que foi assaltado ao chegar nesta terça-feira (06) ao aeroporto de Brasília. “Quando bati a mão no meu bolso: roubaram minha bolsa. E fiquei ali, que País é este em que nós estamos?”, questionou. Após procurar a Polícia Federal, encontrou a bolsa no banheiro, mas sem o dinheiro. “Graças a Deus não levaram a minha vida”, resumiu.