Publicidade  Prefeitura de São Luis

Geral

Recém-nascido morre após hospital de Pinheiro negar atendimento

A Polícia Militar prendeu na noite de ontem (31), em Pinheiro, um médico identificado como Paulo Roberto Penha Costa, que se negou a prestar socorro a um recém-nascido no Hospital Municipal Materno Infantil. Devido à falta de atendimento, a criança veio a óbito.

Segundo relato do Boletim de Ocorrência, o bebê chegou numa ambulância do município vizinho de São Bento em estado grave, os socorristas solicitaram atendimento, mas foram informados pelo médico plantonista por se tratar de uma vítima de outra cidade o hospital não iria prestar atendimento.

A polícia foi acionada, mesmo após a insistência dos PM’s, Paulo Roberto não tomou procedimento. Em meio dessa discussão, o recém-nascido acabou não resistindo e o médico levado à delegacia pelo crime de omissão de socorro.

Em Pinheiro, o prefeito Luciano Genésio (Avante) adota uma política de não atender pacientes de outros municípios. Ele já foi a rádio para anunciar a proibição de moradores de Presidente Sarney de utilizarem hospitais da cidade, em razão das críticas que sofre do ex-deputado Penaldon Jorge, esposo da prefeita Valéria Castro (PCdoB).

São Bento é administrado pelo prefeito do PCdoB Luizinho Barros, aliado do presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto (PCdoB), adversário político de Luciano. Pelo visto, os moradores de lá também não podem receber socorro da rede de saúde de Pinheiro.

 

Comantário

  1. Ele formou na Bolívia e exerce a profissão sem ter feito o Revalida, exame necessário para habilitá-lo a exercer a Medicina no Brasil. CRM nele!

Comments are closed.