Publicidade  Prefeitura de São Luis

Geral

São Luís volta a ser a Ilha Jamaica

“São Luís, a Ilha Jamaica, a capital brasileira do reggae”. Este trecho da música ‘Jamaica a São Luís’, de composição de Gerude, imortalizou a capital maranhense como um pedacinho jamaicano fora do Caribe. Fenômeno na década de 1980, o ritmo musical criado pelo lendário Bob Marley chegou ao Maranhão cerca de 10 anos antes.

As teorias para o desembarque do reggae no estado são variadas, mas a mais conhecida talvez seja a de que marinheiros que chegavam aos portos de Cururupu e São Luís, e frequentavam zonas de prostituição, faziam pagamentos com discos de reggae trazidos diretamente da Jamaica.

Desde então o ritmo musical que mescla letras do cotidiano, da paz de espírito e do amor, de questões sociais, religiosas e também políticas, ganhou o coração dos maranhenses. Na década de 1980, durante o boom do reggae em São Luís, a capital ganhou a alcunha de ‘Jamaica Brasileira’. Infelizmente, muito por falta de apoio do poder público, o gênero adotado pelos ludoviceneses acabou perdendo força e reconhecimento nas últimas duas décadas.

Diante deste cenário, o governo do Estado tratou de tocar projetos de incentivo a um dos maiores bens culturais de São Luís. Nacional e internacionalmente conhecida como Ilha Jamaica, a capital maranhense volta a respirar o ritmo que conquistou o coração de milhares de ludovicenses.

A inauguração do Museu do Reggae, realizada ontem no Centro Histórico, é um marco na história do gênero e da cidade de São Luís, pois ele é o primeiro, no mundo, fora da Jamaica. A retomada da valorização do ritmo embalado pelas radiolas e pelas guitarras, contrabaixos e uma batida dançante, faz o Maranhão respirar novamente e orgulhosamente o reggae.

O gênero que virou, inclusive, atração turística para os que visitam a cidade, volta a fazer parte do cotidiano de São Luís. O incentivo do governador Flávio Dino foi essencial, e hoje o Maranhão pode se orgulhar de ter o único Museu do Reggae fora da Jamaica no mundo.

Com o retorno da valorização do ritmo que conquistou os maranhenses, São Luís volta a ser a Ilha Jamaica.