Publicidade  Prefeitura de São Luis

Geral

Constrangido por Leitoa, Alexandre Almeida terá que explicar atestado de “torção”

O deputado estadual Alexandre Almeida (PSD) virou motivo de piada na Assembleia Legislativa do Maranhão ao tentar justificar sua ausência prolongada do mandato por ordem médica. O parlamentar alega que teve que se afastar do cargo, abrindo vaga para o suplente Marcos Caldas (PSDB), pois precisava tratar um suposto “torção no testículo”.

Na manhã da quarta-feira (20), Almeida terminou constrangido pelo colega de parlamento, Rafael Leitoa (PDT), em uma discussão sobre o envio de emendas para a construção de unidades de segurança em Timon.

Leitoa argumentava que o governo estadual já vem realizando ações do tipo no município, quando teve sua atuação parlamentar questionada pelo adversário, que falou o que queria, mas ouviu o que não queria.

“Vossa excelência não tem moral para falar de mim, vossa excelência tem que explicar para o povo essa sua licença vergonhosa que tirou que até hoje não consegue explicar se é torção de coluna, se é torção de testículo e se é problema de coluna. Isso vossa excelência tem que explicar para o povo do Maranhão. Vossa excelência não tem 20% de presença nesta casa, isso questiona até a legitimidade do seu mandato”, rebateu o pedetista.

Como o parlamento estadual entrou em recesso, Rafael ameaçou protocolar, já no início do próximo ano, um requerimento na Comissão de Saúde com o objetivo de questionar os atestados apresentados à Assembleia pelo candidato derrotado à prefeitura de Timon

“Primeiro foram dois atestados médicos, um primeiro de quinze dias e outro depois de quinze dias. Não tenho aqui o atestado médico desses 30 dias, do ano passado. E em seguida, em julho, teve o recesso parlamentar. Em agosto, o deputado apresenta um atestado médico para esta Casa, de 121 dias. E o atestado médico, senhores, não fala de torção testicular, o atestado médico é para dor na lombar e que tem um nome específico, nome científico aqui: Transtorno de Discos Lombares. Quem tem dor nas costas, motoristas de UBER, manicure, engenheiro, mas que não se afastam 150 dias para tratar dor nas costas. Vou apresentar esses requerimentos à Comissão de Saúde. Que chame esse médico para explicar a necessidade de 121 dias para tratar dor nas costas, enquanto o senhor, trabalhador maranhense, o INSS não dá 150 dias para você tratar dor nas costas”.

Pelo visto, um “torção de testículo” ainda pode render várias dores de cabeça para Alexandre Almeida.

Comantário

Comments are closed.