Publicidade  Prefeitura de São Luis

A eleição da Câmara de vereadores de Imperatriz e mais uma derrota do clã Sarney

A Câmara de Vereadores de Imperatriz reelegeu o atual presidente, José Carlos Soares Barros, para o biênio 2019-2020. A vitória dele significa mais uma acachapante derrota do clã Sarney no Maranhão, já que o prefeito Assis Ramos, apadrinhado da oligarquia, ensaiou lançar um candidato seu para o comando da Câmara, mas acabou recuando de última hora devido a iminente derrota.

José Carlos obteve os votos dos 11 vereadores – de um total de 21 – presentes na sessão que o reelegeu ao cargo. A derrota para o comando da Câmara na segunda maior cidade do Maranhão foi um duro golpe para as pretensões eleitorais do clã Sarney em 2018, já que, além do desgaste elevado do prefeito Assis Ramos, a cidade nunca deu boas votações para os candidatos da oligarquia.

A derrota significa também o enfraquecimento da família Sarney em todo o Maranhão. A catinga da oligarquia parece que tem repelido vitórias em todos os âmbitos do estado, sobretudo no ano de 2017, em que eles somam retumbantes revezes.

Ainda em janeiro, o prefeito de Tuntum, Cleomar Tema, apoiado pelo governador Flávio Dino, foi eleito para a presidência da Federação dos Municípios do Maranhão (Famem). A vitória de Tema para comandar a entidade no biênio 2017-2018 por aclamação não deu nem chances aos candidatos que tinham a simpatia da família Sarney, como a prefeita de Rosário, Irlahi Moraes, que, em ato desesperado, tentou concorrer cometendo uma série de irregularidades, inclusive falsificando assinaturas de colegas prefeitos.

Outra arrasadora derrota para a família Sarney ocorreu no Tribunal de Justiça do Maranhão. Apostando todas as fichas na eleição de Nelma Sarney, sua cunhada, José Sarney chegou a promover uma reunião quando iniciou a pré-campanha para fazê-la presidente do TJ. Ele reuniu em sua casa no Calhau, logo no começo das articulações em favor de Nelma, magistrados e advogados para apoiarem a candidatura da desembargadora.

Nas urnas, o desembargador José Joaquim Figueiredo obteve 16 votos contra 10 da cunhada de José Sarney e acabou eleito presidente do TJ para o biênio 2018-2019. Essa derrota foi considerado um duro golpe nas pretensões da família em voltar ao poder em 2018, já que o oligarca planejava utilizar a justiça estadual para perseguir aliados e correligionários do governador Flávio Dino, como vem fazendo depois que emplacou um apadrinhado no comando da Polícia Federal.

Após essas três derrotas, a família Sarney já não vê mais tanta força política como tinha em outrora. O que será um grande empecilho para a cobiça de voltar a usufruir de benesses às custas do dinheiro público em 2018.

2 Comnetários

Comments are closed.