Publicidade  Prefeitura de São Luis

Geral

Marreca quer ‘melar’ entrada de Bolsonaro no PEN

O deputado federal e vice-presidente nacional do PEN, Júnior Marreca, entrou com pedido de impugnação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra as alterações na nomenclatura e no estatuto do partido. O PEN vai passar a se chamar Patriotas.

Os pontos que mais incomodam o parlamentar são os poderes concedidos ao deputado Jair Bolsonaro, presidente de honra do Patriota sem ter se filiado formalmente à sigla, e a regra no estatuto que impossibilita coligações com a “extrema esquerda”, a exemplo do PCdoB. Marreca é aliado do governador Flávio Dino, que é do PCdoB.

“Isso precisa ser revisto. Nós fazemos parte do governo no Maranhão. Essa proibição vai nos prejudicar muito”, disse.

Além de Júnior Marreca, o deputado federal Walney Rocha (PEN-RJ), Presidente Nacional do Conselho do PEN, também entrou com ação no TSE.

O presidente da legenda, Adilson Barroso, negou qualquer irregularidade na constituição do novo estatuto. “Os deputados que estão reclamando deveriam se preocupar mais em unir do que desunir o partido”, ponderou.