Publicidade  Prefeitura de São Luis

Geral

“Doutor Milhão” e Benedito Carvalho voltam a ser alvos de desdobramento da Sermão aos Peixes

Em coletiva de imprensa, a Polícia Federal deu maiores detalhes sobre a Operação Pegadores deflagrada na manhã de hoje (16). No total, foram presas 17 pessoas, entre elas a ex-secretária adjunta de Saúde, Rosângela Curado, e um servidor técnico da SES que não teve o nome revelado, acusados de comandar o esquema de desvios de recursos públicos, através da contratação de funcionários fantasmas e pagamentos a empresas de faixada.

A quadrilha atuava junto às organizações sociais terceirizadas, como o Instituto Cidadania e Natureza (ICN), responsável por contratar uma sorveteria que emitia notas fiscais frias e permitiu o desvio de R$ 1.254.409,37 dos cofres públicos. Foram identificadas 424 pessoas inseridas na folha de pagamento de hospitais, mas que não prestavam serviço às unidades.

A empresa passou por uma transformação jurídica, mudando a razão social de “OCC – Indústria de Sorvetes e Comércio” e passou a se chamar “ORS – Gestão e Serviços Médicos Especializados”. “Grande parte desses crimes aconteceram entre janeiro de 2015 e dezembro de 2015, mas continuaram a ocorrer também no ano de 2017”, destacou o delegado Wedson Cajé Lopes.

A PF ainda não revelou o nome de todas as pessoas presas, mas pelo que foi apurado até agora, além de Rosângela, foram detidos Antônio Aragão, o “Doutor Milhão”, presidente do IDAC; Benedito Silva Carvalho, presidente do Instituto de Cidadania e Natureza (ICN) e uma servidora da SES identificada como Chisleane.