Publicidade  Prefeitura de São Luis

Geral

Protocolado pedido de cassação do prefeito Luciano Genésio

A Câmara Municipal de Pinheiro recebeu pedido de cassação do prefeito Luciano Genésio (Avante) nesta terça-feira (31). O processo tem como base jurídica uma série de crimes cometidos pela gestão municipal.

O pedido de cassação foi protocolado por moradores da cidade, entre eles o suplente de vereador, Osmar Pacheco. De acordo com a documentação, no dia 07 de junho a prefeitura assinou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público para atualização do Portal da Transparência. Depois de descumprir o acordo, neste mês, finalmente o município disponibilizou, ao menos, a folha de pagamento.

“Em rápida analise da folha de servidores do município restou comprovado gritantes ilegalidades como prática de nepotismo, funcionários fantasmas que recebem vultosos salários e pagamento de remuneração sem lei municipal que a defina”, diz trecho da peça.

O caso foi denunciado pelo blog no último dia 18. São diversos parentes do prefeito e da primeira dama, Thaise Hortegal, com vencimento acima até mesmo de secretários municipais. Somente 16 funcionários da Prefeitura custaram R$ 621.890, 61 (seiscentos e vinte um mil, oitocentos e noventa reais e sessenta e um centavos) em apenas seis meses, todos com parentesco com a família de Luciano Genésio.

“Indícios estes que revelam suposta prática dos crimes de peculato, formação de quadrilha, emprego irregular de verbas ou rendas públicas, lavagem de dinheiro e outros a ser objeto de investigação”.

O texto foi lido pelo primeiro secretário da Câmara na manhã de hoje e o presidente da casa, Elizeu Tanta, encaminhou o processo para apreciação do jurídico e depois analise dos demais parlamentares.