Publicidade  Prefeitura de São Luis

Geral

Candidatura de Maura Jorge está nas mãos de Nelma Sarney

Pré-candidata ao governo do estado, Maura Jorge (Podemos) ultimamente tem buscado fugir da fama de linha auxiliar do PMDB, porém não apenas sua participação nas eleições do próximo ano, assim como seu futuro político, estão nas mãos do grupo Sarney. A desembargadora do Tribunal de Justiça, Nelma Sarney, é a relatora do processo da ex-prefeita de Lago da Pedra que recorreu no ano passado de uma condenação em primeira instância. Maura perdeu os direitos políticos por oito anos.

No dia 17 de março do ano passado, o juiz Marcelo Santana Farias, titular da 1ª Vara da Comarca de Lago da Pedra, acolheu denúncia do Ministério Público contra a então prefeita (Maura Jorge) por atos de improbidade administrativa e a condenou a perda da função pública, ressarcimento integral do dano ao erário e suspensão dos direitos políticos.

Ela foi acusada de ter utilizado publicidade institucional para obter promoção pessoal durante sua gestão entre os anos de 2009 e 2011. O argumento dos promotores foi a utilização da letra “M” grifada de forma diferenciada na expressão “Modernidade e Desenvolvimento” nas peças publicitárias da Prefeitura. A mesma marca explorada quando era deputado estadual e tinha obviamente referência ao nome “Maura”. Além disso, o gasto com a publicidade saltou em 2010 de R$ 47.470,00 para R$ 134.890,00 no ano seguinte.

Através dos seus advogados, a pré-candidata ao governo recorreu ao Tribunal de Justiça e coincidentemente neste ano a distribuição do processo parou nas mãos de Nelma Sarney. Uma das primeiras medidas da desembargadora foi suspender a multa milionária aplicada em desfavor da ré no valor corrigido de R$ 1.160.000,00.

O processo está parado no gabinete de Nelma desde o último dia 18 de abril.

O Tribuna de Justiça é um órgão de 2ª instância. Caso opte por manter a decisão do juiz Marcelo Farias, Maura estará impedida de disputar as eleições no próximo ano. Contudo, se o entendimento for contrário e derrubada a condenação, a pré-candidata do Podemos estará livre em dívida com o grupo Sarney, e não restará qualquer dúvida que ela é o plano B da oligarquia para enfrentar Flávio Dino.

Comantário

  1. É evidente que Maura Jorge, como linha auxiliar, vai se livrar do processo basta isso, um grande negocio pra ela.

Comments are closed.