Publicidade  Prefeitura de São Luis

Geral

Moacir Feitosa dispara contra Sindeducação

O secretário de Educação de São Luís, Moacir Feitosa, perdeu a paciência com a presidente do Sindicato dos Professores (Sindeducação), Elisabeth Castelo Branco, responsável por conduzir a categoria para mais uma greve na capital.

Em entrevista a uma rádio local, nesta segunda-feira (7), o secretário afirmou que o movimento paredista é fruto de “questões pessoais”, numa clara referência a representante dos professores. Ele também já havia criticado tentativa de setores da oposição de politizar a situação da educação em São Luís. Os trabalhadores exigem reajuste salarial de 7,65%.

Na realidade existe uma falta de compreensão da categoria, afinal, os municípios do país inteiro tem feito esforço enorme para pagar os salários em dia aos servidores, quanto mais conceder reajuste de quase 10% no período de crise econômica e consequente controle dos gastos.

A greve foi deflagrada no dia 1º de agosto, enquanto isso, milhares de alunos estão sem aulas na capital.

Veja a nota da Prefeitura

A Secretaria Municipal de Educação (Semed) informou que já concedeu reajuste de 39,08% no acumulado dos últimos quatro anos de gestão para os professores da rede municipal e que já concedeu mais de 12 mil direitos estatutários para a categoria, entre esses titulações e gratificações, como parte da política de valorização dos profissionais do magistério. A Semed esclarece que aproximadamente 60 unidades de ensino do município já foram reformadas, e que outras escolas recebem serviços atualmente, sendo que até o mês de setembro 20 deverão ser entregues. A Semed comunica ainda que possui a meta de encerrar o ano com 120 escolas completamente recuperadas”.