Publicidade  Prefeitura de São Luis

Geral

Empresa de Luciano Lobão, que teve contrato rescindido com o DNIT, responde ao blog

No último dia 28 de março, o blog Marrapá publicou em primeira mão a informação de que a empresa Hytec-Construções, Terraplenagem e Incorporações Ltda que pertence ao empresário Luciano Lobão, filho do senador Edson Lobão, teve o contrato rescindido com o DNIT.

O texto da reportagem dizia: “A Superintendência Regional do Departamento Nacional de Infraestrutura e Trânsito (DNIT) informa que suspendeu o contrato com a construtora Hytec, que encabeçava um consórcio de construtoras responsável por fazer a conservação e a manutenção da rodovia federal que liga São Luís ao continente. Motivo: a empresa simplesmente abandonou as obras”.

Três dias (31 de março) depois a superintendência do DNIT no Maranhão divulgou uma nota confirmando todas as informações repassadas pelo blog. “Em janeiro de 2015, a Hytec paralisou os serviços sem a apresentação de qualquer justificativa, após abandonar as obras, a rodovia federal ficou um ano e três meses sem receber qualquer tipo de recapeamento asfáltico e terraplanagem… Por ordem do Superintendente Regional, Marcelo Itapary, o DNIT decidiu abrir um processo administrativo para apurar a responsabilidade pela má conservação da BR-135, após conclusão do processo a Hytec teve o contrato rescindido”.

Na reportagem o blog deixou bem claro que a empresa fazia parte de um consórcio responsável pelas obras de manutenção e conservação da BR-135. “O órgão precisou rescindir o contrato do consórcio responsável pela conservação e manutenção da BR-135, porque as obras foram simplesmente abandonadas desde janeiro de 2015”.

Além disso, também citou outras obras que foram paralisadas pela empresa no Maranhão.

Nesta quarta-feira, a Assessoria de Imprensa da Hytec procurou o responsável por este blog pedindo um Direito de Resposta, baseado na Lei Nº 13.188, de 11 de novembro de 2015, que foi amplamente aceito pelo titular.

Vale lembrar que sempre tivemos como princípio a verdade, às vezes podemos dar informações sem provas cabais, mas que se confirmam mais na frente porque possuímos uma ampla rede de fontes jornalísticas. O blog tem opinião, escolha política e defende tudo aquilo que acredita. Neste caso especifico da Hytec, tudo aquilo que relatamos foi confirmado pelo próprio DNIT.

Resposta HYTEC   

A empresa Hytec-Construções, Terraplenagem e Incorporações Ltda., vem esclarecer informações prestadas pelo DNIT/MA e diversos Blogs, inclusive este.

A Hytec classificou as informações divulgadas como levianas, caluniosas e mentirosas, não passando de perseguição política. Fato este já corriqueiro no Maranhão.

Em síntese, vamos aos fatos:

1º BR-135

A HYTEC tinha 14% deste contrato perante o consórcio de 4 empresas. No mês de fevereiro de 2015 a HYTEC saiu do consórcio com o aval das demais consorciadas e protocolamos na superintendência do DNIT em São Luís (em anexo). VEJA QUE A HYTEC NÃO ABANDONOU COMO DIZEM.

O motivo da saída se deu por 2 fatores:

1-         Inadimplência financeira por parte do DNIT nos pagamentos dos serviços realizados (atrasos constantes de até 5 meses)

2-         Foram identificadas diversas inconsistências técnicas no projeto original que tornava a obra inexequível, motivando diversas revisões, cerca de 11(onze) e, com isso, gerando um atraso e desgaste enorme não só para o consórcio, mas para todos.

Nota: A lei 866 permite solicitar a saída ou distrato por falta de pagamento, problema técnico e etc.

2º BR-226

A HYTEC foi vencedora de um RDC-ELETRÔNICO onde participaram várias empresas de vários estados. Não é verdade que tenhamos desistido desta obra ou impedido de assinar o contrato. Estamos aguardando empenho para que possamos executar a obra referida. Em anexo um documento entre HYTEC e DNIT comprova a versão verdadeira.

Todavia, existem 2 problemas em relação a essa obra, que são;

  1. a) O senhor vice-governador esta semana em reunião com o Dnit, deixou clara sua vontade ou do Governo do Estado do Maranhão, de que a Construtora Sucesso execute a obra, afirmando que a empresa não precisaria receber para executá-la e que poderia esperar por momentos melhores para receber o serviço. UM ABSURDO! CONTUDO, NOS RESERVAREMOS A NÃO COMENTAR ESTA ILEGALIDADE.
  2. b) Não se tem ainda empenho desta obra e sim uma solicitação de orçamento para 2016 na ordem de 12 milhões. ISTO É UM PROBLEMA GRAVE, pois o prazo contratual é de 18 meses e o valor da obra é de 88.5 milhões. Ou seja, esta obra irá começar, caso chegue o empenho, com pouco recurso e com isso terá atraso na entrega.

3º Pac de Imperatriz

Antes de prestar os esclarecimentos gostaríamos de lembra que na gestão do Sr Ildon Marques, ex-prefeito, esta obra era exemplar e vista como referência.

Contudo, na Primeira semana do senhor Madeira como prefeito, eu, Luciano Lobão fui chamado em sua residência e tive a ingrata notícia dada pelo secretário Roberto, na presença do prefeito que a HYTEC não iria continuar nenhuma obra na prefeitura. Sendo assim, protocolamos na Superintendência da Caixa Econômica, no ministério das cidades e na prefeitura o conteúdo desta reunião e os problemas que enfrentávamos em campo como perseguições que sofríamos.

A HYTEC que solicitou a saída e até hoje temos recursos a receber.  Saímos em abril de 2011 e a obra teve seu reinício em agosto de 2012, mas até hoje não foi entregue.

4º Obra com a prefeitura de São Luís

Esta obra teve tantos problemas de projeto que se tornou impossível sua execução, sem contar os problemas de pagamento em atraso e não poder pagar serviços por não estarem em planilha.

Tive na época todo apoio do prefeito Edvaldo Holanda Junior na tentativa de poder contornar os problemas. Infelizmente não tivemos alternativa, a não ser o distrato amigável.

Por fim, a Hytec esclarece que, diferente do que foi publicado, a empresa não pertence a “Família Lobão”, assim entendida como Senador Edison Lobão ou Lobão Filho.

Sem mais,

Assessoria de Imprensa da Hytec