Publicidade  Prefeitura de São Luis

Geral

Governo discrimina São Luís e adota critério político para liberar convênios, diz Othelino Neto

othelino netoO deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) chamou a atenção, na sessão desta quarta-feira (20), para a forma como o governo do Maranhão discrimina a cidade de São Luís e lamentou que as diferenças político-partidárias sejam o único critério utilizado pelo Estado para mandar convênios e recursos aos municípios maranhenses. “Sabe quantos reais e quantos convênios o Executivo fez com a Prefeitura de São Luís, de janeiro de 2013 para cá? Nenhum, zero”, comentou.

Othelino disse que São Luís tem mais de um milhão de habitantes e não é beneficiado com convênios do governo por perseguição política. Segundo ele, a governadora trata o recurso público como se fosse dela. “Só recebem os recursos do Estado aqueles que são submissos ao grupo político que comanda e que destrói o Maranhão há mais de 50 anos”, frisou.

Segundo Othelino, de janeiro de 2013 até hoje, os municípios de São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa tiveram, juntos, R$ 25 milhões, e até deveriam ter recebido bem mais que isso, assim como São Luís poderia ter sido beneficiada da mesma forma e não foi.

De acordo com o deputado, ao contrário de receber recursos para obras, São Luís ainda tem que repassar para os cofres do Estado R$ 2 milhões por mês, referentes a convênios firmados com a Prefeitura, durante o governo Jackson Lago, para construção de viadutos e que o governo Roseana Sarney ingressou na Justiça para ter os recursos de volta.

No pronunciamento, Othelino criticou o candidato a governador do grupo Sarney, Lobão Filho, por ter falado, durante debate na TV Guará,  de “desastre administrativo em São Luís”. “Desastre é o que eles fizeram e estão fazendo com o Maranhão. A capital maranhense sofre discriminação pura, mesquinharia, práticas não republicanas. É assim que o governado do Maranhão age e ainda querem falar de desastre”, afirmou.

Crises do grupo Sarney

Para o deputado, antes de ficar olhando para a Prefeitura de São Luís, seria bom que o grupo Sarney se voltasse para as suas próprias crises, administrativa e ética, que estão expostas nacionalmente e para o fato de só ter Edinho Lobão como opção para apresentar como candidato a governador. “Então é bom olhar para o próprio umbigo. Não adianta tentar desqualificar a mudança, porque o que a qualifica e o que a estimula é o estado de pobreza em que está o Maranhão”, disse.

Othelino disse que a perseguição à cidade de São Luís está acabando no dia 31 de dezembro deste ano. Segundo ele, assim o eleitor da capital maranhense vai saber o que é ter um governador republicano, que trabalhará pela cidade e que não vai discriminar prefeito, simplesmente, porque não é de seu partido ou do seu grupo político.

O deputado acrescentou que o candidato da coligação “Todos pelo Maranhão”, Flávio Dino, tem dito que receberá todos os prefeitos caso seja eleito governador, independente de serem aliados ou adversários.