Publicidade  Prefeitura de São Luis

Zé Reinaldo põe em dúvida a candidatura de Edinho: "um balão de ensaio"

José Reinaldo Tavares

O lançamento da candidatura de Edinho Lobão ao governo do Maranhão parece guardar muita semelhança a de um “balão de ensaio”, daqueles que são lançados no meio de uma crise para saber se a pretensão tem condições de se afirmar ou não. Não dá para pensar diferente, pois nunca antes nesse estado, quiçá no país, tivemos a desistência de uma chapa majoritária toda, candidatos a governador e senador, exatamente por ocasião da data legal limite para sair do governo e se tornar pré-candidato.

lobaofilho
Ex-governador acredita que Edinho Lobão ainda pode ser substituído pelo senador João Alberto.

Em termos metafóricos o ocorrido foi semelhante à explosão de uma bomba causada por quem deveria exatamente estar comandando o processo político de escolha das candidaturas por parte do grupo Sarney. E tal processo foi tão alucinado que o então candidato ao governo saiu do governo para nada. O único que – por sorte – parece que se saiu melhor na história foi o sacrificado vice-governador, que teve que deixar o cargo para que Roseana pudesse alçar  o seu atribulado candidato ao governo, por meio de eleição indireta a ser conduzida pelos deputados na Assembleia Legislativa.

Mas como não “combinaram com os russos” e não seguiram a lição do craque Garrincha, ela não pôde cumprir o seu plano. Isto se deu mais por incompetência e inapetência do que por outra causa qualquer. Sobrou para todo o seu grupo político que, de uma hora para outra, estavam envolvidos em um verdadeiro buraco negro. As promessas evaporaram, aliás, como sempre.

O que fazer então? Como manter a serenidade no meio da desordem política? Apelaram para Lobão, que nem pensava mais em qualquer possibilidade de ser chamado, de tanto que foi tão hostilizado pelos Leões e tratado sem o mínimo respeito. Mas enfim o senador José Sarney resolveu recorrer a “sua turma”, chamando Lobão e João Alberto para evitar a debandada geral. Lobão não mais poderia mais ser candidato, pois não se desincompatibilizara na data legal. João Alberto, depois de tanto tempo perdido, desdenhou da possibilidade de ser um candidato competitivo àquela altura.

Eis que, para atender o desejo de José Sarney de colocar Lobão na campanha, nasceu a candidatura de Edinho Lobão. Agora vejam que no momento essa candidatura é para valer, mas poderá não ser no final de junho, que é a data limite das convenções partidárias que definem os candidatos. Se assim acontecer, pelo menos terá servido para animar a turma com a possibilidade de aparecer uma “ajuda de campanha”.

Contudo, se o balão não subir o necessário, é possível imaginar mais uma troca geral de candidatos no seio do governo e nesse caso Edinho Lobão iria disputar o senado e João Alberto receberia a missão de ser o candidato governista ao Palácio dos Leões.

Esse é o jeito deles. O que importa é o poder. Lembremos o passado recente em que o candidato Luiz Fernando – “metido num azougue” – não parava em canto nenhum, fazendo visitas a vários municípios por dia e sempre assinando ordens de serviço de obras. Ainda tentei alertá-lo sobre seu grupo, dizendo que ele não seria o candidato e que seria substituído, mas ele, crédulo, ficava muito zangado comigo e descarregava sua raiva me insultando em seus pronunciamentos. Deu no que deu. Aliás, fiquei sabendo que todas as empresas que estavam trabalhando por conta das ordens de serviço que ele assinou já abandonaram as obras.

Mas, voltando ao assunto, na apresentação do novo candidato, ocasião na qual Luiz Fernando fez muito bem em não ir, a sua patronesse, Roseana Sarney, o humilhou ao extremo ao dizer que o candidato “natural” do grupo sempre fora Lobão-  o pai, evidentemente – mostrando toda a crueza das ações do grupo e o modo como fazem política. Descartam qualquer um, com crueldade, quando não lhes são mais úteis.

E o novo candidato que abra o olho, pois a mesma governadora (que  diga-se de passagem nunca morreu de amores por eles – a família Lobão) avisou duramente: “Edinho Lobão não é o meu candidato. É candidato do grupo”. Verdadeiro aviso aos navegantes. Mais claro impossível. Os Lobão que se virem com a classe política. Deu para entender?

Continue lendo…