Publicidade  Prefeitura de São Luis

Espaço do leitor: Sobre morte do Cadete PMMA Ferro

tel cel furtado“Olá, Leandro! Venho, por meio desta mensagem, pedir que denuncie em seu blog um grave acontecimento que deixou todos os cadetes da Polícia Militar do Maranhão bastante entristecidos e desmotivados que essa instituição.

Você deve ter sabido de um acidente que culminou na morte de um cadete da PM. Este ocorreu em frente a Estação Fiat, na avenida Carlos Cunha, no dia 04/04/2014. Essa fatalidade deixou a QUASE todos bastante sensibilizados e triste. Mas como usei o termo “quase”, devo te dizer que nem todos ficaram assim.

O nosso comandante, Ten Cel. Furtado, não demonstrou qualquer sentimento para com a morte do seu subordinado. A exceção de ter oferecido a capela a Academia de Polícia para o funeral do cadete morto, esse senhor não teve qualquer consideração pelo ocorrido. Não queria suspender as atividades acadêmicas do dia (só o fez por ordem expressa do Comandante Geral) e não determinou a nenhum oficial que fosse ao IML prestar assistência aos familiares.

Só quem compareceu POR CONTA PRÓPRIA, foram os cadetes do 3º ano. Outra postura de flagrante insensibilidade desse comandante foi quanto à vestimenta do corpo do cadete. Nós solicitamos ao Ten Cel Furtado que fornecesse um fardamento para ser mortalha do falecido, e sabe qual foi a resposta deste?! “A Academia não tem dinheiro para gastos desnecessário!!”

Diante disso, nós cadetes foi quem fizemos uma colaboração e compramos a farda que serviu de mortalha ao finado. Em suma, a morte do cadete não foi mais que um número a menos, e um dia que atrapalhou as atividades acadêmicas, para esse senhor. Se não fosse por iniciativas dos próprios cadetes, o corpo do nosso amigo teria sido enterrado em trajes civis, sendo que o sonho deste era ser policial.

Estamos a 30 dias trabalhando de manhã, tarde e NOITE (estamos fazendo capina até à NOITE) para reformar essa academia e nem na hora da morte somos reconhecidos. O Tenente Aguiar foi outro que não demonstrou qualquer sentimento pelo ocorrido. Este, ao chegar ao local do acidente, disse que, já que havia ocorrido o óbito, não tinha tempo a perder no local do acidente, e que SÓ ESTAVA PREOCUPADO EM HASTEAR A BANDEIRA NACIONAL NO HORÁRIO PARA O CORONEL NÃO RECLAMAR, dá pra acreditar?!”

PM anônimo, São Luís (MA)

Comments are closed.