Publicidade  Prefeitura de São Luis

Flávio Dino repudia vínculo de imagem do Brasil à conotação sexual

camisabrasiladidasreproducaoA Embratur emitiu nota, nesta terça-feira (25), repudiando a comercialização de produtos que vinculem a imagem do Brasil a apelos sexuais. O instituto está em contato com a Adidas para que esta retire do mercado as camisetas que vinculam o país a propagandas sexuais.

O texto ainda reforça que nenhuma campanha ou ação desenvolvida pela autarquia para promoção turística do Brasil no exterior “usa qualquer imagem ou mensagem que traga conotação sexual ou que sirva de incentivo para essa prática criminosa”.

“A exploração sexual é um crime inaceitável e não pode ser confundida de forma alguma com uma modalidade de turismo. Queremos deixar claro aos nossos principais parceiros comerciais na área do turismo que o Brasil não tolera esse tipo de crime em seu território’, disse o presidente da Embratur, Flávio Dino.

Ofensa ao país

A ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, afirmou em nota ser inadmissível que uma multinacional de produtos esportivos como a Adidas venda camisetas com imagens e frases que ligam o Brasil ao turismo sexual. A ministra pediu que a empresa se retrate publicamente e cesse imediatamente a distribuição destes produtos.

“É inadmissível que uma multinacional de produtos esportivos como a Adidas, conforme reportado pela imprensa, venda camisetas com imagens e frases que ligam o Brasil ao turismo sexual (…) É imperativo, assim, que a empresa se retrate publicamente de sua atitude irresponsável e cesse imediatamente a distribuição de tais produtos”.

A Secretaria de Direitos Humanos repudiou, em nota, a vinculação da imagem do Brasil a conteúdos de apelo sexual. Para a SDH, qualquer estímulo nesse sentido significa associar-se a criminosa prática do turismo sexual, que se constitui em uma grave violação de direitos humanos combatida permanentemente pelo país.

Com informações do blog do Planalto